Notícias

Banca de DEFESA: MÁRCIO JARDEL DA CONCEIÇÃO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MÁRCIO JARDEL DA CONCEIÇÃO
DATA: 21/02/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Geografia
TÍTULO: CLIMA URBANO E SUA INFLUÊNCIA NA SAÚDE PÚBLICA DE ARACAJU
PALAVRAS-CHAVES: Clima urbano; Saúde pública e Análise ritimica
PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

Na Antiguidade, havia preocupação com os microrganismos nocivos disseminados com auxílio dos meios fluidos como a água e o ar, que comprometiam a saúde dos citadinos nas áreas urbanas devido à falta de saneamento básico adequado. Nos dias atuais, além de continuar ocorrendo esse tipo de situação que perdura há séculos, existe ainda a questão das altas temperaturas causada pela falta de consciência sustentável no que diz respeito a meios que amenizem a exposição da radiação solar, assim como a concentração de poluentes na atmosfera das cidades emitidas por indústrias e veículos. As intervenções antrópicas modificam o meio natural substituindo a cobertura vegetal do solo por camadas artificiais impermeabilizadas para dar lugar à construção de cidades alterando a atmosfera local de um aglomerado urbano qualquer, além de estimular o surgimento de fenômenos como ilhas de calor e inversão térmica. Esse cenário tem sido palco para que doenças cardiovasculares, infecciosas e respiratórias sejam as protagonistas, acometendo a sociedade em geral. Diante desse contexto, a pesquisa visou analisar as doenças cardio-respiratórias no espaço urbano de Aracaju decorrentes das interferências climáticas locais no período de 2006 a 2015. A metodologia adotada baseou-se no modelo de Análise Rítmica desenvolvida por Monteiro (1976) com o intuito de relacionar fatores climáticos e enfermidades. Para alcançar os objetivos propostos coletou-se dados do clima no INMET, e analisou-se aproximadamente 23 mil prontuários das enfermidades (pneumonia, asma, arritmia cardíaca, insuficiência cardíaca e infarto do miocárdio) no Hospital Universitário – HU-UFS. Os resultados mostraram que o número de casos das doenças cardiovasculares se concentrou nos meses mais quentes do ano influenciados pelo clima urbano, enquanto as ocorrências respiratórias foram mais expressivas na estação do outono devido as interferências de frentes frias. Em termos de espacialização das enfermidades, os bairros da zona norte da capital foram os mais acometidos por ambas as patologias. Assim, diante do quadro cada vez mais crescentes dessas enfermidades sugere-se melhorias no saneamento básico, monitoramento da qualidade do ar pelos órgãos públicos, intensificação no plantio de áreas verdes e arborização, tanto nas vias públicas, quanto nos lotes, e uma reflexão no modo de projetar a cidade pelos atores envolvidos na construção civil (arquitetos, engenheiros civis e empresariado imobiliário).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426626 - HELIO MARIO DE ARAUJO
Externo ao Programa - 982973 - GENESIO JOSE DOS SANTOS
Externo ao Programa - 1583100 - RENATA NUNES AZAMBUJA
Notícia cadastrada em: 31/01/2017 17:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r12176-a08508ab91