Notícias

Banca de DEFESA: JOSÉ MURILHO FARIAS BOMFIM

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ MURILHO FARIAS BOMFIM
DATA: 22/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: PEGADA HÍDRICA E DESEMPENHO ECONÔMICO DA CULTURA DO COENTRO (Coriandrum sativum L.) NO AGRESTE SERGIPANO
PALAVRAS-CHAVES: Horticulturas. Gestão do uso da água. Viabilidade econômica.
PÁGINAS: 81
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

RESUMO. A racionalização do uso da água na agricultura irrigada, não se faz apenas por adoção de determinados sistemas eficientes, mas também pelo uso de estratégias racionais que minimizem o desperdício e reduzam os impactos ambientais. Outro aspecto altamente limitante é a eficiência produtiva, fazendo necessário à utilização de estimativas de custos de produção na administração de empresas hortifrutigranjeiras para fornecer informações do sistema para a tomada de decisão. A produção de coentro irrigado é uma atividade que se caracteriza pelo custo de produção por hectare cultivado, nesse contexto à contabilização da pegada hídrica e do desempenho econômico permitem a eficiente tomada de decisões em relação à gestão da água e na minimização de custos no sentido de alocar adequadamente os recursos disponíveis para a determinada cultura. Este trabalho tem por objetivo determinar as Pegadas Hídricas (PH): verde, azul e cinza culminando com a análise econômica da cultura do coentro na região Agreste do Estado de Sergipe. A análise da PH foi feita a partir dos dados da cultivar tabocas produzidas na Empresa Hortaliças Vida Verde, localizada no município de Itabaiana/SE. Os dados analisados se referem aos anos de 2013 a 2015 durante as estações inverno, primavera, verão e outono. Para o desempenho econômico foi utilizado como base os dados de produtividade do ano 2016, numa área de 900 m2, para tanto se utilizou os indicadores econômicos tais como: receita bruta, receita liquida e à relação beneficio e custo. Os resultados obtidos apontaram valores para cada estação: inverno (PHverde 62%, PHazul 36% e PHcinza 2%); primavera (PHverde 5%, PHazul 94 % e PHcinza 1%) verão (PHverde 6%, PHazul 93 % e PHcinza 1%) e outono (PHverde 18 %, PHazul 81 % e PHcinza 1%) tendo como média a participação da PHazul (81%), seguidos da PHverde (17%) e PHcinza (2%) na contribuição da pegada hídrica total para o coentro irrigado. O maior percentual foi obtida da PHazul que corresponde ao uso intensivo do sistema de irrigação. Enquanto que o menor percentual obtido na PHcinza correspondeu ao baixo uso de fertilizantes sintéticos. A produtividade da cultura apresentou resultados satisfatórios nos indicadores econômicos. Culminando com os seguintes valores: receita bruta de R$ 8.437,50, receita liquida de R$ 6.226,78 e a relação benefício custo foi de R$ 3,82. Significando que para cada R$ 1,00 (um real) utilizado no custo de produção da cultura, houve um retorno de R$ de 3,82. O insumo que mais onerou o custo de produção foi à torta de mamona corespondendo a 49 % dos demais fertilizantes. As aplicações desses indicadores na empresa contribuirão para ações positivas no sentido de compreender os desafios relacionados com o consumo de água e maximizar a sua rentabilidade na produção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 4178490 - INAJA FRANCISCO DE SOUSA
Interno - 1834882 - ARIOVALDO ANTONIO TADEU LUCAS
Externo ao Programa - 3274466 - HELENICE LEITE GARCIA
Externo ao Programa - 140555 - MARCOS CABRAL DE VASCONCELLOS BARRETTO
Notícia cadastrada em: 30/01/2017 08:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10668-754907a47