Notícias

Banca de DEFESA: ANALEE CRUZ ALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANALEE CRUZ ALVES
DATA: 25/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: "GENTE DA TERRA E DAS ÁGUAS": APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DOS RESÍDUOS DE MYTELLA SPP. PELAS MARISQUEIRAS DA TAIÇOCA DE FORA - NOSSA SENHORA DO SOCORRO/SE.
PALAVRAS-CHAVES: Mytella spp. Pesca. Mariscagem. Resíduos Sólidos.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A pesca artesanal do sutinga (Mytella charruana) e sururu (Mytella guyanensis) apresentam grande importância para a comunidade da Taiçoca de Fora, povoado situado em Nossa Senhora do Socorro- SE, onde famílias inteiras sobrevivem da pesca e mariscagem. No entanto, o resíduo sólido gerado por essa atividade ainda não tem destinação apropriada, as conchas da Mytella spp., ricas fontes em carbonato de cálcio (CaCO3) são encontradas em abundância às margens do estuário local. O presente trabalho teve como objetivo analisar a atual situação dos resíduos sólidos da Mytella spp. lançados no entorno do porto de pesca da Bananeira. Este estudo possui perspectiva metódica quali-quantitativa, sendo orientado pelo enfoque empírico dedutivo. Dentre os procedimentos técnicos utilizados, a pesquisa foi contemplada por entrevistas semiestruturadas aplicadas a 38 pescadores e marisqueiras, e 3 gestores dos principais órgãos competentes; Identificação cartográfica do principal ponto de descarte do resíduo e bancos naturais de extração da espécie; Análise dos índices de habitabilidade e do sistema de beneficiamento do recurso no povoado. Foram levantados aspectos bioecológicos da espécie, a fim de compreender o ciclo de vida do animal e o possível aproveitamento do resíduo, considerando os aspectos socioeconômicos, culturais e ambientais da região. O presente estudo constatou que em períodos distintos podem ser capturados de 2 a 8 kg de molusco em estado magro e de 4 a 16 kg em estado gordo. Foram elaborados mapas que indicam o principal ponto de descarte do resíduo da Mytella spp. e os principais pontos de pesca em atividade no estuário do Rio Cajaíba. Diariamente podem ser produzidos até 2kg de resíduo por marisqueira. Constatou-se que os atuais modelos de esgotamento sanitário e de coleta de resíduos sólidos não atendem a comunidade de forma eficiente e satisfatória. Os dados produzidos contribuíram com a lacuna teórica e metodológica existente sob a temática, os mesmos foram devolvidos a comunidade através de uma oficina devolutiva e da entrega da cartilha do trabalho seguro e saudável. É latente a necessidade de um plano de ordenamento pesqueiro e manejo sustentável para que haja a extração racional do recurso e gestão do resíduo da pesca, mas para que isso venha a ocorrer deve-se levar em primeiro plano a necessidade social e ambiental


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2442859 - ANA ROSA DA ROCHA ARAUJO
Externo ao Programa - 2021506 - CAROLINA NUNES COSTA BOMFIM
Interno - 426314 - JOSE DALTRO FILHO
Presidente - 279481 - ROSEMERI MELO E SOUZA
Notícia cadastrada em: 13/01/2016 09:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12646-2c874e3307