Notícias

Banca de DEFESA: SOFIA OLIVEIRA DE BARROS CORREIA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SOFIA OLIVEIRA DE BARROS CORREIA
DATA: 18/12/2015
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 10
TÍTULO: A INTERDISCIPLINARIDADE COMO PRINCÍPIO NORTEADOR NA PESQUISA EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS
PALAVRAS-CHAVES: Interdisciplinaridade. Ciências Ambientais. Pesquisa Interdisciplinar
PÁGINAS: 150
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Esta pesquisa tem como objeto de estudo o emprego e/ou uso do termo interdisciplinaridade como princípio norteador de pesquisas em ciências ambientais. Trata-se de pesquisa do tipo exploratória relativa ao emprego e/ou uso da interdisciplinaridade nas pesquisas realizadas no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe entre 2003 e 2014. O estudo concentrou-se na análise de elementos teóricos, metodológicos e/ou paradigmáticos correspondentes à noção de interdisciplinaridade presentes em dissertações. Duzentas e quarenta e nove dissertações foram analisadas. Adotou-se a abordagem discursiva de Pêcheux, Análise do Discurso Francesa (ADF) para a análise e tratamento das informações. A interação na pesquisa ocorreu de modo participante-ativo, envolvendo a pesquisa do tipo bibliográfica e documental. Os principais resultados da pesquisa explicitam que a interdisciplinaridade é assumida consensualmente como um princípio norteador relacionados à formação interdisciplinar de pesquisa, tanto no projeto de curso, quanto durante as interações em sala de aula, reuniões de gestão, trabalho de campo, efetuados por coordenação, funcionários, professores e alunos. No entanto, nas dissertações produzidas, o emprego e/ou uso do termo interdisciplinaridade demonstra cinco características principais: a) existem divergências no manejo do conceito entre as pesquisas (confusão de conteúdo); b) é predominante a dimensão teórica da interdisciplinaridade (consenso cognitivo); c) não existe delineamento metodológico específico à interdisciplinaridade (nulidade pragmática); d) existe adoção da sustentabilidade como matriz, referência e/ou índice à análise interdisciplinar (inversão instrumental); e) elege-se a interdisciplinaridade como um critério de mensuração da aprendizagem. Conclui-se que o emprego e/ou uso da interdisciplinaridade está restrita à dimensão teórica e associada ao processo avaliativo da formação acadêmica. Tal redução obscurece a identificação de aspectos metodológicos, adequados para caracterizar e justificar a relevância da interdisciplinaridade na realização das pesquisas analisadas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2625648 - ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
Interno - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Externo ao Programa - 1516500 - SILVANA APARECIDA BRETAS
Externo à Instituição - MARINOÉ GONZAGA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 10/11/2015 17:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata2.fragata2 v3.5.16 -r12646-2c874e3307