Notícias

Banca de DEFESA: EMANUELE MARIA LEITE SUZART

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EMANUELE MARIA LEITE SUZART
DATA: 26/05/2015
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: REPRODUÇÃO SOCIAL DE PESCADORAS/CATADORAS DE MANGABA DO POVOADO PONTAL, SE.
PALAVRAS-CHAVES: Reprodução Socioambiental; Pescadoras; Catadoras de Mangaba; Comunidades Tradicionais
PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As comunidades tradicionais são responsáveis pela preservação de diversos ecossistemas em que estão inseridas, já que dependem, quase ou exclusivamente, dos recursos naturais disponíveis para garantir sua reprodução social. Tal reprodução, geralmente, conta com o desenvolvimento de diversas atividades produtivas e diferentes atores sociais envolvidos na própria comunidade. Em se tratando de comunidades pesqueiras tradicionais, por exemplo, o olhar, muita das vezes, se direciona para a atividade principal da pesca de peixe desenvolvida pelo pescador. A partir disso, atividades outras que possuem relação com a pesca ou não, desenvolvidas por mulheres, e que são essenciais para a reprodução social das comunidades, se tornam invisíveis. Na contra corrente deste olhar é que o objetivo do presente trabalho se propõe acompreender a reprodução social das mulheres do povoado Pontal, no estado de Sergipe, a partir do trabalho da pesca do marisco e da cata da mangaba. O presente trabalho teve como base a pesquisa etnográfica, cujo foco foi, a partir da própria realidade local de um grupo social e de seus modos de ver, interpretar e sentir o mundo, desvendar a complexidade de suas práticas sociais e seus modos de vida. Para que isso fosse possível, foram aplicadas entrevistas semiestruturadas junto as mulheres da comunidade. Sendo assim, constatou-se como são desenvolvidos as práticas e saberes do trabalho da pesca do marisco e da cata pelas mulheres do povoado, onde os ciclos naturais dialogam com os ciclos ecológicos (épocas de pesca, épocas de coletas de mangaba). Percebeu-se também a reprodução sociocultural e econômicaconstruídas na comunidade a partir do desenvolvimento dessas duas atividades que, em alguns meses do ano, se combinam. Por fim, discutiu-se as dificuldades e contradições vivenciadas pelas mulheres do povoado através do fechamento das áreas para a cata da mangaba, e da implementação de viveiros de maricultura nas proximidades das comunidades.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1323516 - CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
Externo à Instituição - EDMAR RAMOS DE SIQUEIRA
Externo à Instituição - EMILIO DE BRITTO NEGREIROS
Notícia cadastrada em: 18/05/2015 12:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata2.fragata2 v3.5.16 -r12646-2c874e3307