Notícias

Banca de DEFESA: RODRIGUS OLIVEIRA FEITOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RODRIGUS OLIVEIRA FEITOSA
DATA: 20/01/2015
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS COMO FERRAMENTA PARA O PLANEJAMENTO E GESTÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE PROTEÇÃO INTEGRAL DE SERGIPE.
PALAVRAS-CHAVES: Geoprocessamento. Planejamento Ambiental. Áreas Protegidas
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A criação de Unidades de Conservação tem objetivo além da proteção ao meio ambiente, é uma estratégia de planejamento territorial. Porém, a implantação de territórios legalmente protegidos gera conflitos socioeconômicos, que muitas vezes são maiores ou mais difíceis de serem solucionados que os próprios problemas ambientais. Para transpor os entraves que se apresentam nesse processo, não é possível deixar de empregar ferramentas da moderna Tecnologia da Informação e Comunicação, como os Sistemas de Informações Geográficas, que, a partir de produtos de sensoriamento remoto e técnicas de geoprocessamento, possibilita auxiliar nas ações de planejamento, gestão e monitoramento de áreas protegidas de forma mais prática, ágil e dinâmica. Nesse contexto, esta pesquisa teve como objetivo investigar na literatura e através da aplicação prática, como o emprego de uma ferramenta de geoprocessamento na construção de um atlas digital de Unidades de Conservação de Proteção Integral poderia subsidiar as atividades de planejamento e gestão ambiental. Para tanto, foram empregadas a pesquisa bibliográfica e documental, entrevistas e pesquisa de campo. Na elaboração e organização dos mapas digitais foram empregados os softwares QuantumGIS e Global Mapper. Com os resultados obtidos, se verificou que Sergipe possui uma boa base de dados georreferenciados, mas que carece de consistência e constante atualização. Além do que, a escassez de profissionais empregados nas ações diretas de gestão e monitoramento das unidades de conservação no Estado, enfraquece os objetivos de proteção ambiental, que já sofre grandes pressões antrópicas. Concluiu-se que o emprego dos Sistemas de Informações Geográficas fornece uma importante fonte de informações para a elaboração do planejamento, gestão e monitoramento ambiental, além de racionalizar recursos humanos, porém a falta de profissionais capacitados, os custos de aquisição de produtos de sensoriamento remoto e informações biofísicas pouco confiáveis tornam-se obstáculos a serem transpostos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3313144 - MARCIA ELIANE SILVA CARVALHO
Interno - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Presidente - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Interno - 279481 - ROSEMERI MELO E SOUZA
Notícia cadastrada em: 22/12/2014 14:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12712-85cc87cea5