Notícias

Banca de DEFESA: ERONIDES SOARES BRAVO FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERONIDES SOARES BRAVO FILHO
DATA: 17/12/2014
HORA: 09:30
LOCAL: Sala 02 do Polo de Gestão (PRODEMA)
TÍTULO: DIVERSIDADE, ETNOBOTÂNICA E PROPAGAÇÃO DE CABEÇA-DE-FRADE (Melocactus LINK & OTTO – CACTACEAE) NO ESTADO DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Cactos; usos; conservação; germinação.
PÁGINAS: 160
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Botânica
SUBÁREA: Fitogeografia
RESUMO:

A família Cactaceae está botanicamente distribuída em 100 gêneros e aproximadamente 1500 espécies, e subdividida em quatro Subfamílias: Maihuenoideae, Pereskeoideae, Opuntioideae e Cactoideae. Essa família integra o grupo botânico de plantas heliófilas, Angiospermas dicotiledônias e representa o segundo grupo mais numeroso da região neotropical. Essas plantas são encontradas em uma diversidade muito grande de clima, solo e ecossistemas, com maior ocorrência na Caatinga, florestas tropicais, Cerrado, Campos rupestres e Restingas. Os cactos do gênero Melocactus (Link e Otto) fazem parte da Subfamília Cactoideae e é composto por um total de 37 espécies e 25 subespécies. Vegetal perene com caule não segmentado, apresenta uma característica única do grupo que é a presença do cefálio terminal e propagação exclusiva por sementes. Apesar dos inúmeros trabalhos científicos sobre os cactos no Brasil, a distribuição geográfica, o tamanho da população e o estado de conservação de boa parte das espécies ainda é pouco estudada visto que dentre as espécies de Melocactus catalogados atualmente, nove encontram-se em listas de plantas em risco de extinção. Esta pesquisa objetivou mapear e fazer um levantamento das espécies de Melocactus que ocorrem no Estado de Sergipe, pesquisar as interações etnobotânicas das cactáceas no Estado e a germinação de sementes das espécies M. zehntneri e M. violaceus. Os instrumentos utilizados foram pesquisa de campo nas quais foram determinadas as coordenadas geográficas, altitude, presença de espécies em fase reprodutiva e presença de frutos. A pesquisa sobre os usos dessas espécies foi feita através da aplicação de questionário semiestruturado com 36 moradores das diversas regiões de ocorrência. Para o experimento de germinação foram testados os efeitos da embebição das sementes (sementes embebidas/desidratadas) e de diferentes tipos de substratos sobre a germinação, em um delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições de 25 sementes e cinco tipos distintos de substratos. Foram avaliados a Frequência Relativa da Germinação, Tempo Médio de Germinação, Índice de Velocidade de Germinação, comprimento da Parte Aérea, Tamanho do Diâmetro e Tamanho da Radícula. Através deste trabalho foi registrado a ocorrência gênero Melocactus em 18 municípios do Estado de Sergipe como também a ocorrência de uma espécie nova. Em relação ao estudo etnobotânico foram identificadas nove espécies de Cactos que foram agrupados em quatro categorias de usos: medicinal; alimentação humana e animal; construção e produção de objetos; ornamental e misticismo. No experimento de germinação, a espécie M. violaceus apresentou maior índice de germinação que a espécie M. zehntneri, entretanto não foi observada diferença significativa entre os tratamentos com sementes embebidas e desidratadas. No experimento com diferentes substratos, os melhores resultados obtidos para as duas espécies estudadas foram nos tratamentos S2(50% areia lavada + 50% terra vegetal) e S1(100% areia lavada), respectivamente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2176700 - MARLUCIA CRUZ DE SANTANA
Interno - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Interno - 3185055 - GICÉLIA MENDES DA SILVA
Externo ao Programa - 2207731 - CARLOS DIAS DA SILVA JUNIOR
Externo à Instituição - MAGDI AHMED IBRAHIM ALOUFA
Notícia cadastrada em: 11/11/2014 08:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10840-e5b57c044