Notícias

Banca de DEFESA: FERNANDA AMORIM SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDA AMORIM SOUZA
DATA: 25/02/2014
HORA: 17:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: APRENDIZADO AGROECOLÓGICO NA REFORMA AGRÁRIA EM SERGIPE: Práticas camponesas e a interlocução com a ATER.
PALAVRAS-CHAVES: ATER, Agroecologia, Aprendizado Agroecológico, Camponês a Camponês.
PÁGINAS: 135
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
SUBÁREA: Outras Sociologias Específicas
RESUMO:
O serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no Brasil tem sua história atrelada à modernização da agricultura e é co-responsável pelas consequências (tanto econômicas quanto) sociais e ambientais da implantação desse modelo. No entanto, há cerca de uma década, a ATER passou por uma profunda reflexão sobre o seu papel social, durante a discussão para criação da nova Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER). Este momento apresenta um discurso de ruptura com a história da ATER praticada em nosso país, trazendo a Agroecologia como orientação teórico-metodológica para a ação extensionista. O Objetivo Geral desta pesquisa é compreender, a partir da experiência do assentamento Paulo Freire II –Estância –SE, a complexidade de realização do trabalho da ATER no que diz respeito à construção da Agroecologia, levando-se em conta a intenção expressa nos discursos normativos em transpor o paradigma convencional da Extensão Rural. A pesquisa evidenciou nas práticas dos agricultores do assentamenteo Paulo Freire II uma busca por alternativas à agricultura convencional, guiada pelas mais diversas motivações, refletindo uma oportunidade para o avanço do aprendizado agroecológico. Ainda que sejam tímidas as metas estabelecidas nos editais para a promoção da Agroecologia através da ATER, revelou-se um processo em curso que busca incorporá-la na pauta da Assistência Técnica e Extensão Rural na Reforma Agrária. As Chamadas Públicas da SR-23 do INCRA tiveram alguma inspiração na PNATER e percebe-se um avanço gradual que busca trabalhar a temática de forma mais efetiva. O último edital para contratação da empresa que executa o serviço nos assentamentos reflete esse avanço com a definição de um coletivo de técnicos que está desenvolvendo a metodologia Camponês a Camponês e representa a principal afirmação de construção da agroecologia na Reforma Agrária em Sergipe.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1787443 - EMILIO DE BRITTO NEGREIROS
Interno - 1323516 - CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
Externo ao Programa - 2342651 - ERALDO DA SILVA RAMOS FILHO
Externo à Instituição - EDMAR RAMOS DE SIQUEIRA
Notícia cadastrada em: 25/02/2014 11:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10673-9ba8510ba