Notícias

Banca de DEFESA: EDILSON CARNEIRO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDILSON CARNEIRO DA SILVA
DATA: 25/02/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Prodema UFS
TÍTULO: Um mergulho nas águas do Velho Chico: territorialização, desterritorialização e reterritorialização dos pescadores artesanais de Saramém, Brejo Grande, SE.
PALAVRAS-CHAVES: territorialização; desterritorialização; reterritorialização; Etnoconhecimento pesqueiro e territorialidades.
PÁGINAS: 201
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Em decorrência de intensas mudanças socioambientais ocorridas nas últimas décadas, os territórios da pesca artesanal (mar, rios, estuários, lagos, lagoas, etc.) vêm sofrendo profundas transformações (poluição, diminuição dos estoques de pescados, perda da biodiversidade, turismo, grandes obras públicas, avanço do mar), o que afeta diretamente o modo de vida de muitas comunidades de pescadores(as) no País. E algumas dessas transformações socioambientais têm levado a diversos homens e mulheres, que vivem diretamente da pesca, a abandonarem, com seus familiares, seus tradicionais lugares de trabalho e morada. O presente estudo possui como objetivo geral: “compreender os processos socioculturais e econômicos de territorialização, desterritorialização e reterritorialização (TDR) vividos pelos pescadores artesanais de Saramém, Brejo Grande, Sergipe, particularmente quando estes foram obrigados, devido ao avanço do mar, a irem morar nesta localidade advindos do Povoado do Cabeço. Saramém localiza-se na margem da foz do Rio São Francisco, assim como era o Cabeço. Em busca da compreensão desses processos, a metodologia utilizada foi a etnografia, que se construiu com base na observação direta e participante, em entrevistas semi-estruturas sobre a história de vida dos pescadores artesanais, registros fotográficos e uso de um diário de campo. Nesse sentido, o etnoconhecimento dos pescadores também foi valorizado. A pesquisa durou de setembro de 2012 a junho de 2013, onde cerca de 30 pescadores foram entrevistados. Como resultado, obteve-se a compreensão que os processos de territorialização, desterritorialização e reterritorialização provocaram danos materiais e imateriais, a exemplo das perdas dos lugares tradicionais de pesca, alterações nos espaços de uso comum (territórios de pesca), enquanto fruto de impactos negativos sobre os recursos naturais que se deram na foz do Rio São Francisco. Ademais, relações de vizinhança foram alteradas e elos simbólicos com o território perdidos e (re)significados. Quanto à relevância científica e social da pesquisa, entende-se que a mesma é duplamente importante, seja para as Políticas Públicas (compreensão dos impactos ambientais a partir do modo de vida dos pescadores), seja para os estudos acadêmicos, especialmente para as noções de espaços culturalmente definidos pelas territorialidades dos pescadores artesanais. Por isso, a importância do etnoconhecimento enquanto abordagem desta dissertação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1323516 - CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
Interno - 1787443 - EMILIO DE BRITTO NEGREIROS
Externo ao Programa - 2442859 - ANA ROSA DA ROCHA ARAUJO
Notícia cadastrada em: 05/02/2014 10:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10840-e5b57c044