Notícias

Banca de DEFESA: ANA CAROLINA SOUTO MUHLERT

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CAROLINA SOUTO MUHLERT
DATA: 20/02/2014
HORA: 09:00
LOCAL: SALA 2 - PRODEMA
TÍTULO: INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE DA CARCINICULTURA EM TERRAS BAIXAS, SÃO CRISTÓVÃO, SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Penaeus vannamei; Área de Preservação Permanente; desenvolvimento sustentável
PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A partir do surgimento de uma consciência ambiental, fruto de maior pressão dos ambientalistas que combatem o uso exagerado dos recursos naturais, o desenvolvimento sustentável tornou-se um grande desafio desde o século XX. Como forma de garantir o desenvolvimento sustentável, o Brasil vem criando políticas ambientais que dispõem de instrumentos como o licenciamento ambiental. A carcinicultura, criação de camarão que possui potencial poluidor, para ser desenvolvida dentro da legalidade, precisa passar pelo processo de licenciamento. Em São Cristóvao, Sergipe, essa atividade é desenvolvida, em sua maioria, por produtores familiares em Áreas de Preservação Permanente. Devido à localização, esses viveiros, que existem há mais de um século, não possuem licenciamento e, se por um lado, o fechamento desses viveiros seria ideal do ponto de vista ecológico, também seria responsável por um enorme impacto socioeconômico aos atores sociais envolvidos na atividade. Diante disto, este estudo teve como objetivo avaliar a sustentabilidade nas dimensões social, econômica e ecológica de carciniculturas em São Cristóvão, através de indicadores, utilizando uma adaptação da metodologia Marco para Avaliação de Sistemas de Manejo de Recursos Naturais Incorporando Indicadores de Sustentabilidade (MESMIS). Para isso foram realizadas pesquisas bibliográficas, além de consulta a um banco de dados do Grupo de Estudos sobre Aquicultura e Sustentabilidade (GEAS), que forneceu dados dos produtores e atores sociais envolvidos na atividade. Ao final do estudo, observou-se que a dimensão econômica obteve maior nível de sustentabilidade (86,04%), seguida pela dimensão social (80,37%) e ecológica (67,78%), respectivamente. O índice geral das carciniculturas estudadas em São Cristóvão foi de 78.06%, confirmando a hipótese de que a produção de camarão marinho no município, avaliada nas dimensões social econômica e ecológica é potencialmente sustentável. Porém, mais estudos são necessários a fim de aprofundar o conhecimento sobre a sustentabilidade nessas áreas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2273536 - LAURA JANE GOMES
Interno - 2177263 - ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
Interno - 1834882 - ARIOVALDO ANTONIO TADEU LUCAS
Externo ao Programa - 2635749 - JULIANA SCHOBER GONCALVES LIMA
Externo ao Programa - 1777726 - ROBERTO SCHWARZ JUNIOR
Externo à Instituição - MARIA DO CARMO FIGUEREDO SOARES
Notícia cadastrada em: 03/02/2014 15:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12646-2c874e3307