Notícias

Banca de DEFESA: LÍGIA DE OLIVEIRA BRAGA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LÍGIA DE OLIVEIRA BRAGA
DATA: 27/03/2013
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO:

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS QUÍMICOS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO: ELABORAÇÃO DE UM DIAGNÓSTICO DO PROCESSO DE DESCARTE.


PALAVRAS-CHAVES:

Sustentabilidade, Resíduos em Serviços de Saúde, Gestão dos Resíduos Químicos.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A geração de resíduos é uma problemática atual e faz parte da vida humana. O aumento de resíduos cresce a cada dia associado ao avanço da tecnologia e da produção industrial. Neste contexto, inserem-se os serviços de saúde que, como organizações, precisam incorporar novos conceitos para adquirir novos comportamentos em seus processos assistenciais onde as questões da preservação do meio ambiente e da proteção da saúde pública precisam ser destacadas. Tal desafio tem gerado políticas públicas e regulamentações que vem assumindo grande importância como eixo para o desenvolvimento sustentável. Estas regulamentações classificam os resíduos de serviços de saúde gerados e dispõem de protocolos para seu manejo. Dentro desta classificação, enquadram-se os resíduos químicos que vem se tornando um desafio no que diz respeito ao uso, descarte e reuso, quando possível. Assim, este trabalho tem como objetivo geral elaborar um diagnóstico da situação atual do gerenciamento dos resíduos químicos gerados em um Hospital Universitário de Pernambuco. Para tanto, será utilizada, quanto aos objetivos, uma pesquisa do tipo exploratório-descritiva, possuindo como procedimento para coleta de dados a pesquisa bibliográfica, o levantamento de campo, o estudo de caso e a pesquisa documental. Diante do exposto e a partir da pesquisa realizada, evidenciamos a confirmação das hipóteses levantadas em relação às questões dos resíduos químicos não serem gerenciados seguindo a legislação atual, de não existir envolvimento por parte dos profissionais no planejamento das ações geradoras destes resíduos e de que na realização dos processos não são levados em conta os aspectos relacionados aos possíveis resíduos químicos gerados. Pode-se concluir que apesar de existir a segregação dos tipos de resíduos dos outros grupos, os resíduos químicos não são tratados como tais. Precisa-se através da Educação Ambiental e de um novo modelo de gestão capacitar e treinar os profissionais para buscar mudança no manejo dos resíduos químicos. O processo de formação dos profissionais e a atualização dos mesmos precisam ser de modo contínuo e embasado na Educação Ambiental para a concepção de novos conceitos e para a mudança de comportamento que leve à gestão ambiental, considerando o desenvolvimento sustentável. Por se referir a um tema relevante para as questões de saúde pública e ambiental, deseja-se, com os resultados alcançados, colaborar junto à comunidade acadêmica mostrando a problemática dos resíduos químicos gerados nos serviços de saúde, buscando alterações viáveis para os processos realizados que geram estes resíduos, sem que haja perda na qualidade da assistência prestada e das atividades voltadas para pesquisa


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1834882 - ARIOVALDO ANTONIO TADEU LUCAS
Externo à Instituição - DANIEL PEREIRA DA SILVA
Presidente - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 27/03/2013 08:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r12712-85cc87cea5