Notícias

Banca de DEFESA: JOSUALDO DE MENESES SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSUALDO DE MENESES SILVA
DATA: 26/03/2013
HORA: 09:30
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO:

Antropoestética da Memória:dimensões e expressões da signogravura como elemento do imaginário.


PALAVRAS-CHAVES:

Antropoestética. Memória. Signogravura. Imaginário.


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Esta pesquisa tem como objeto de estudo a caracterização da antropoestética da memória como novo design discursivo de natureza teórico-metodológica em ciências ambientais. Trata-se de pesquisa de base fundamental ou teórica cujos elementos estarão dispostos de modo a favorecer a sistematização concisa e rigorosa que fundamente os estudos das relações que se configuram entre imaginário, apropriação da natureza, meio ambiente, signos e gravura em registros rupestres. Considerar-se-ão análises das dimensões e expressões estéticas associadas à signogravura como elemento do imaginário, através das Itaquatiaras de Boi Branco – Pernambuco, fundamentando-se, especialmente, na teoria antropossociológica de Gilbert Durand. A abordagem teórica sobre o tema é demarcada pela natureza interdisciplinar de pesquisa, sedimentada na inspiração da etnopesquisa crítica e multirreferencial. A metodologia da pesquisa se insere no paradigma interpretativo/qualitativo e no método exploratório dentro da pesquisa do tipo fundamental e de base documental. Os principais instrumentos utilizados na coleta de informações serão o diário de campo, a fotografia, análise documental e fontes bibliográficas disponíveis sobre o tema. Os resultados iniciais dessa pesquisa indicam a caracterização da antropoestética e suas relações com o imaginário se consolida pela expressividade imagética e sígnica contidas, expressas e condensadas pelas Itaquatiaras do Boi Branco. Nesse sentido, os resultados alcançados dão origem inicial a processos-produtos hermenêuticos, constituídos pela reunião de fontes primárias e secundárias, documentos e imagens, que explicitam a pertinência de análises integradoras, convergentes e singulares, mediante as quais o diálogo entre distintos campos de conhecimento, métodos e teorias elucidam a potência da antropoestética da memória em seus movimentos de constituição. Essa relevância é social e científica tanto para o campo das ciências ambientais pelo seu caráter interdisciplinar, multirreferencial e crítico no qual este objeto da pesquisa contribui para a superação redutora e monolítica de sistematização sobre as expressões e dimensões da signogravura em suas relações com o meio ambiente e culturas pré-históricas; quanto para a consolidação de futuras pesquisas no cenário nacional da arqueologia histórica e da história ambiental, mantendo-as afastadas de uma predominante visão ou qualitativa ou quantitativa. Por fim, os resultados apontam para a possibilidade de emergir na interdisciplinaridade, pela interdisciplinaridade, com interdisciplinaridade a atitude interdisciplinar no diálogo com as tradições, com o passado que se atualiza pela potência criadora do imaginário, da natureza e da memória.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2625648 - ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
Externo à Instituição - CLAUDIO PINTO NUNES
Interno - 1323516 - CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
Notícia cadastrada em: 25/03/2013 13:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10840-e5b57c044