Notícias

Banca de DEFESA: MARIA DO CARMO MENEZES DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DO CARMO MENEZES DOS SANTOS
DATA: 25/03/2013
HORA: 09:30
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO:

 

MEMÓRIA INSTITUCIONAL E GESTÃO DE CONHECIMENTOS:
Princípios e práticas de gestão ambiental no ensino superior

GESTÃO PÚBLICA DE CONHECIMENTOS AMBIENTAIS NA UNIVERSIDADE.

 


PALAVRAS-CHAVES:

Gestão do Conhecimento; Conhecimento Ambiental; Ensino Superior.


PÁGINAS: 256
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

 

Os tipos de apropriação que a Universidade Federal de Sergipe efetua em torno dos
conhecimentos produzidos pela pesquisa, pelo ensino e pela extensão nos últimos vinte anos a
respeito das questões ambientais é o objeto central dessa pesquisa. Trata-se da caracterização
da produção acadêmica em torno das relações entre conhecimento acadêmico produzido,
formação científica e difusão do conhecimento produzido na sociedade através da análise
sobre princípios e práticas relacionadas à gestão do conhecimento no sistema de ensino
superior da universidade. O estudo tem como referência o campo de estudos relacionados à
memória institucional e se desenvolve através do mapeamento da produção acadêmica
produzida sobre meio ambiente, normas, princípios e práticas, explícitas ou implicitamente
presentes na Universidade Federal de Sergipe a fim de demonstrar a relevância da gestão do
conhecimento produzido para a implementação de Sistema de Gestão Ambiental. Almeida
(2007), Andrade (2004), Demo (2001), Dias (2009), Guimarães (1995), Moreira (2001),
Zabot & Mello e Silva (2002), Carvalho e Tavares (2001), Portilho (2005), Sachs (2008),
Tachizawa (2006), dentre outros são os principais autores utilizados para fundamentar
teoricamente esse estudo. A metodologia da pesquisa baseia-se no paradigma interpretativo
cuja natureza é qualitativa e interdisciplinar. A pesquisa é do tipo fundamental. O método
escolhido foi exploratório e descritivo com levantamento de dados qualitativos e
quantitativos. Os principais instrumentos de coleta de informações escolhidos foram
questionário padrão, tabela de registro de fontes documentais e análise de conteúdo. Os
resultados esperados destacam a importância do tratamento da informação e dos
conhecimentos produzidos pelas instituições associado à interdisciplinaridade como a
possibilidade da implantação do Sistema de Gestão Ambiental nas instituições de Ensino
Superior no Brasil.

A gestão pública de conhecimentos e os tipos de apropriação do conhecimento científico voltado às questões ambientais, produzido na Universidade Federal de Sergipe, é o objeto central dessa pesquisa. A metodologia da pesquisa baseia-se no paradigma interpretativo. O método escolhido foi o exploratório e descritivo com levantamento de dados qualitativos e quantitativos. Foram utilizados dois descritores para delimitar a identificação dos conhecimentos produzidos: ambiente e sustentável, complementando com termos correlacionados como: ambiental, meio ambiente, ambiência e sustentabilidade. A Pró-Reitoria de Pós-graduação e Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe foi o principal setor selecionado para o desenvolvimento do estudo, situado na Cidade Universitária Prof. José Aloísio de Campus, no município de São Cristóvão/SE, caracterizando o campo empírico da pesquisa. As técnicas de coleta de dados foram observação participante ativa, entrevista semiestruturada, pesquisa bibliográfica e pesquisa documental, enquanto a discussão e análise dos dados foram  realizadas fundamentadas na análise de conteúdo de Bardin (2008) e, quando pertinente o uso de estatística descritiva simples. Os resultados destacam que existe um vácuo nas práticas de gerenciamento adotadas na gestão pública de conhecimento e, consequentemente, também na gestão ambiental universitária; constatou-se que, em detrimento de uma grande produção acadêmica sobre a temática estudada, há uma lacuna no diálogo entre os vários núcleos pesquisados e destes com a administração da UFS, devido a estrutura institucional que é muito departamentalizada, dificultando a promoção da interdisciplinaridade. A dispersão das informações sobre as pesquisas ambientais, e a falta de um banco de dados integrado para armazenamento das mesmas, são implicadores para a deficiência na gestão de conhecimento.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2625648 - ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
Externo à Instituição - CLAUDIO PINTO NUNES
Interno - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Notícia cadastrada em: 20/03/2013 14:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12646-2c874e3307