Notícias

Banca de DEFESA: ROSELI PEREIRA NUNES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSELI PEREIRA NUNES
DATA: 26/02/2013
HORA: 10:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO:

A Formação socioambiental de jovens filhos de pescador: Percepções e relações culturais.


PALAVRAS-CHAVES:

Pescadores, socioambiental e mediadores. 


PÁGINAS: 177
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As questões sociambientais têm se configurado enquanto objeto de pesquisa amplamente estudadas por aqueles que almejam compreender de que maneira são estabelecidas as relações entre os seres humanos, os recursos físico-naturais e o entorno. Para tanto, destaca-se a relevância de ter a percepção como procedimento investigativo essencial para a compreensão das múltiplas maneiras que as pessoas entendem e se relacionam com o entorno. O objetivo desta dissertação é analisar a percepção de filhos de pescadores do povoado Rua da Palha/Sergipe, acerca das relações socioambientais estabelecidas na comunidade. Ressalta-se tratar-se de um local formado em sua maioria por remanescentes de quilombolas que têm na pesca a principal atividade econômica e de sustento familiar. O trabalho de campo foi desenvolvido entre os meses de Maio e Julho de 2012 com a realização de entrevistas com pescadores e com jovens filhos de profissionais da pesca que participaram também de oficinas que tiveram a educomunicação como ferramenta utilizada para a transmissão de conhecimentos. Mediante as atividades realizadas com os jovens, foi possível coletar dados para posterior análise da realidade socioambiental percebida in locus, a citar o posicionamento deles diante das práticas culturais características dos quilombolas e as perspectivas destes sujeitos no que se refere ao futuro profissional, destacando o desejo que têm por ingressar em atividades de trabalho diferentes da pesca e a importância que atribuem à educação formal como essencial para tal feito. Enquanto relevância deste estudo, destaca-se o interesse dos envolvidos pela continuidade das atividades. Assim, concluiu-se acreditando na importância da investigação que faz uso da percepção ambiental uma vez que ela pode contribuir com o entendimento mais contextualizado do entorno, respeitando as especificidades dos sujeitos envolvidos, estimulando novos conhecimentos e, consequentemente, diferentes formas de interação socioambiental. Desta maneira, a percepção contribui também para projetos de Educação Ambiental que objetivem trabalhar a prática educativa de maneira participativa, favorecendo a um trabalho de igualdade de condições entre os envolvidos, visando uma perspectiva interdisciplinar de ação. 

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Externo ao Programa - 2585007 - MATHEUS PEREIRA MATTOS FELIZOLA
Presidente - 555.439.366-72 - RONALDO GOMES ALVIM
Notícia cadastrada em: 25/02/2013 11:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata2.fragata2 v3.5.16 -r12712-85cc87cea5