Notícias

Banca de DEFESA: JULIANA FRANCO DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA FRANCO DE MELO
DATA: 25/02/2013
HORA: 15:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO:

ALTERNÂNCIA COMO PEDAGOGIA NA ESCOLA FAMÍLIA AGRÍCOLA DE LADEIRINHAS-SE: POSSIBILIDADES DE CONSTRUÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS.


PALAVRAS-CHAVES:

Pedagogia da Alternância; Educação do Campo; Agroecologia.


PÁGINAS: 151
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Essa dissertação consiste no estudo da Pedagogia da Alternância enquanto método pedagógico incorporado nos princípios da Educação do Campo e sua contribuição na difusão de práticas agrícolas de base ecológica, por meio da experiência da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas - EFAL, localizada no município de Japoatã, estado de Sergipe. A EFAL atua na formação de jovens, filhos de camponeses, em diferentes tempos e espaços: meio socioprofissional (família, comunidade e trabalho) e meio escolar em regime de internato, na modalidade de educação profissional técnica de nível médio em agropecuária. Por meio de uma abordagem qualitativa, utilizamos elementos da etnografia ancorados na fenomenologia hermenêutica como uma forma de interpretar as experiências cotidianas observadas. Trata-se de uma pesquisa do tipo estudo de caso. Os dados foram coletados por meio de diversos instrumentos, como observações das aulas e experiências práticas, análise documental, anotações em diário de campo, entrevistas semiestruturadas com os estudantes, monitores e famílias envolvidas e registro fotográfico. A EFAL faz parte de redes regionais e nacionais que articulam os diferentes Centros Familiares de Formação por Alternância e que buscam, através da alternância, proporcionar e valorizar o domínio de saberes e se constitui como uma alternativa educacional para o campo. Ao analisar o uso da Pedagogia da Alternância na difusão de princípios e práticas sustentáveis, compreendemos que o método, adaptado as diferentes realidades no campo, possibilita a formação integral do sujeito. Imersos em territórios marcados pela desigualdade, intensificada pelo agronegócio e atingidos pelas políticas de incentivo ao uso das tecnologias insustentáveis advindas de pacotes da revolução verde, as EFAs munem-se de princípios e instrumentos que buscam reforçar o diálogo entre o mundo da escola e o mundo da vida, entre a teoria e prática. A articulação dos dados coletados e suas análises nos permitiram levantar reflexões críticas sobre os tempos escolares, familiares, de trabalhos com a terra e cotidianos, e nos mostraram que apesar das dificuldades na formação de monitores e gestores para esse método pedagógico diferenciado e do financiamento autônomo, existe uma grande capacidade de se tornar um método educativo de formação integral, respaldado no resgate dos conhecimentos tradicionais camponeses. A articulação desses conhecimentos com os aprendidos na EFAL possibilitam proporcionar aos sujeitos do campo a capacidade de refletir e agir para o desenvolvimento rural sustentável. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 3185055 - GICELIA MENDES DA SILVA
Externo ao Programa - 1228214 - LIANNA DE MELO TORRES
Presidente - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Notícia cadastrada em: 19/02/2013 11:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10668-754907a47