A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: JOSÉ RICARDO DOS SANTOS FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ RICARDO DOS SANTOS FILHO
DATA: 28/02/2020
HORA: 08:00
LOCAL: Mini auditório do PROZOOTEC/UFS
TÍTULO: Estudo da viabilidade do sistema de integração Lavoura-pecuária no nordeste brasileiro
PALAVRAS-CHAVES: Consorciação, Glicine Max, Sorghum bicolor, Urochloa brizantha cv. Paiaguás, Zea mays
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

A integração lavoura pecuária (ILP) no Brasil é bastante estudada, e vem se mostrando ser uma boa opção na diversificação da produção por área, aumentando assim a produtividade. Entre as diversas culturas agrícolas que podem ser utilizadas em sistema de integração o milho, junto com capins do gênero Urochloa são bastantes difundidos. Contudo, o estudo do sorgo e soja consociado com a Urochloa brizantha cv. Paiaguás ainda é incipiente. O objetivo deste trabalho foi avaliar a integração na produção de grãos e componentes das culturas agrícolas milho, sorgo e soja, assim como a produção de biomassa do capim e de seus componentes. O experimento foi conduzido de março de 2018 a outubro de 2019. Os tratamentos consistiram de três culturas agrícolas milho, sorgo e soja e dois sistemas de cultivo (monocultivo e cultivo consorciado com o capim paiaguás). O delineamento experimental utilizado foi o de bloco ao acaso, com 4 repetições. Para avaliação dos componentes do capim paiaguás foram comparados o seu monocultivo com o consórcio (milho, sorgo e soja). A maiores produções de biomassa total foram verificadas no cultivo integrado, alturas das plantas e peso de mil grãos não foram influenciados pelo sistema de cultivo. Quando comparado com o plantio em consorcio os monocultivos obtiveram maiores produções de grãos, de biomassa das culturas e de componentes (parte vegetativa e parte reprodutiva), maiores taxas de acumulo diário de biomassa das culturas e de componentes. O capim em monocultivo, quando comparado com o capim em consórcio com as culturas graníferas (milho, sorgo e soja) obteve menor produção de biomassa total. A produção de biomassa de capim, acumulo diário e maiores densidades volumétricas foi observado no monocultivo. Foi seguido pelo capim em consorcio com a soja, logo após o sorgo, com uma menor produção ficou o capim em consorcio com o milho, entretanto neste último tratamento obteve-se maiores porcentagens de folha. A disponibilidade de biomassa total é aumentada significativamente quando se usa a integração.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1078504 - AIRON JOSE DA SILVA
Presidente - 2019408 - BRAULIO MAIA DE LANA SOUSA
Externo ao Programa - 1684100 - JAILSON LARA FAGUNDES
Externo ao Programa - 1562875 - LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR

Notícia cadastrada em: 17/02/2020 15:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5