A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: THAÍS PACHECO SANTANA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAÍS PACHECO SANTANA
DATA: 31/05/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Mini Auditório do PROZOOTEC/UFS
TÍTULO: EFEITO DA MEMÓRIA MATERNA SOBRE O DESENVOLVIMENTO E METABOLISMO OXIDATIVO DA PROGÊNIE DE CODORNAS DE POSTURA (Coturnix coturnix japônica) SUBMETIDAS AO ESTRESSE TÉRMICO
PALAVRAS-CHAVES: ambiente materno; desafio ambiental; epigenética transgeracional; metionina
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

Pesquisas mostram que o efeito do ambiente materno pode ser alterado para produzir efeitos benéficos na progênie através de mecanismos epigenéticos transgeracionais. Dessa forma, este trabalho tem como objetivo geral avaliar o efeito do ambiente materno sobre as respostas da progênie frente ao seu próprio ambiente na fase de crescimento. Para tanto, dois trabalhos foram conduzidos: Experimento 1: Efeito da dieta materna sobre a resposta ao estresse térmico da progênie durante a fase de crescimento (conduzido em esquema fatorial 3 x 2: três dietas para as matrizes, e pra cada tratamento das mães, duas temperaturas para seus filhos) e Experimento 2: Efeito da temperatura no período pré-natal sobre o desempenho e metabolismo oxidativo de codornas de postura expostas ao estresse térmico na fase de crescimento (conduzido em esquema fatorial 2 x 2: duas temperaturas para as matrizes, e pra cada tratamento das mães, duas temperaturas para seus filhos). No experimento 1, observamos como principais resultados que matrizes que receberam dietas DL-Met1 e DL-Met2 apresentaram maior produção de ovos, melhor eficiência alimentar, maior taxa de eclosão, maior taxa de eclosão de ovos férteis e produziram pintainhos mais pesados (P<0.05). Matrizes alimentadas com dietas DL-Met1 e DL-Met2 também apresentaram maior capacidade antioxidante e menor conteúdo de TBARS. Filhos de matrizes alimentadas com dieta DL-Met2 apresentaram maior peso aos 15 dias, maior ganho de peso e melhor conversão alimentar (1-15 dias de idade) que filhos de matrizes alimentados com dieta SM. Durante o período de crescimento, para progênie criada em condição de estresse térmico, filhos de aves alimentadas com dietas com ambos os níveis de suplementação de metionina apresentaram maior peso aos 35 dias, maior ganho, maior capacidade antioxidante e menor relação heterofilo: linfócito que filhos de matrizes alimentadas com dietas SM. No experimento 2 observamos menor taxa de postura, menor massa de ovo e maior taxa de mortalidade da progênie na fase inicial (1-15 dias de idade) para matrizes criadas em condição de estresse térmico (P<0.05). Na fase de crescimento da progênie, não houve efeito da temperatura ambiental sobre o desempenho ou metabolismo oxidativo de filhos de matrizes criadas em condição de conforto. Entretanto, quando a matriz foi submetida ao estresse, menor ganho de peso, maior conteúdo de proteínas carboniladas e menor relação H:L foi observada nos filhos também criados em condição de estresse térmico. Os nossos resultados sugerem que o ambiente materno pode influenciar no desempenho e no sistema oxidativo da matriz beneficiando ou não o seu filho futuramente. Para melhor entendimento desses resultados, nosso próximo passo será avaliar a ação da epigenética transgeracional através do padrão de metilação de DNA na região promotora dos genes GPx, GSS e HSP70 no fígado da matriz e da sua progênie.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2229398 - ANA PAULA DEL VESCO
Interno - 1699576 - CLAUDSON OLIVEIRA BRITO
Interno - 2579494 - LEANDRO TEIXEIRA BARBOSA
Externo ao Programa - 1412570 - VITTOR ZANCANELA

Notícia cadastrada em: 22/05/2019 16:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5