A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: VÍCTOR EMANUEL MENESES FEITOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VÍCTOR EMANUEL MENESES FEITOSA
DATA: 22/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Mini auditório do PROZOOTEC/UFS
TÍTULO: Níveis energéticos e correção de nutrientes sobre a digestibilidade de nutrientes e desempenho de frangos de corte
PALAVRAS-CHAVES: Interação de nutrientes, Minerais, Lisina digestível
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

Este estudo foi realizado para determinar a digestibilidade e o desempenho de frangos de corte alimentados com diferentes níveis de energia metabolizável (EM), com e sem correção dos nutrientes lisina digestível (lis.dig.), cálcio (Ca) e fósforo disponível (Pd). Para o ensaio de digestibilidade, utilizou-se 210 aves machos da linhagem Cobb 500, dos 14 aos 21 dias de idade, distribuídas em delineamento DIC em arranjo fatorial 3x2+1, com três níveis de EM (3,050; 3,125; 3,200 kcal/kg) com ou sem correção de nutrientes e um tratamento controle (2,975 kcal/kg de EM), totalizando sete tratamentos, seis repetições e cinco aves por unidade experimental. Para o ensaio de desempenho foram utilizados 1,120 aves de 8 a 21 dias de idade, com delineamento e tratamentos semelhantes ao experimento anterior. Para o desempenho II (aves de 22 a 42 dias de idade), foram utilizados 1,008 frangos de corte, distribuídas em delineamento DIC em arranjo fatorial 3x2+1, totalizando sete tratamentos com oito repetições e dezoito aves por unidade experimental, foram utilizados três níveis de energia metabolizável (3,050. 3,125 e 3,200 kcal/kg) e um tratamento controle com 2,975 kcal/kg de EM. Os CDMS e PB foram melhorados (P≤0.05), conforme o aumento da EM e da correção nos nutrientes da dieta. A EB apresentou maior digestibilidade a partir da correção dos nutrientes (P≤0.05). Os dados de desempenho não apresentaram interações (P>0,05) entre a energia e correção dos nutrientes, mas o aumento do nível energético com correção melhoraram a conversão alimentar. O aumento na densidade energética seguida de correção dos principais nutrientes proporciona melhorias no aproveitamento dos nutrientes e no desempenho das aves.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CAMILLA MENDONCA SILVA
Externo ao Programa - 2192160 - CLAUDIO JOSE PARRO DE OLIVEIRA
Presidente - 1699576 - CLAUDSON OLIVEIRA BRITO
Externo ao Programa - 2371937 - VALDIR RIBEIRO JUNIOR

Notícia cadastrada em: 12/02/2019 16:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5