A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: LORENA EMILY DE LEMOS MOTA BOMFIM

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENA EMILY DE LEMOS MOTA BOMFIM
DATA: 21/02/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de web conferência, Centro de eventos da UFG.
TÍTULO: O CLIMA DO CERRADO PODE CAUSAR ESTRESSE TÉRMICO EM BOVINOS NELORE EM CONFINAMENTO?
PALAVRAS-CHAVES: correlação, homeorrese, índice de temperatura de globo negro e umidade
PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

Objetivou-se avaliar o desempenho e parâmetros metabólitos em bovinos nelores confinados no clima do cerrado. O experimento foi realizado no Confinamento Experimental de Bovinos de Corte (CEBC) da Universidade Federal de Goiás (UFG), situado na cidade de Goiânia-GO, entre os meses de julho a outubro de 2017. Foram utilizados 221 novilhos nelores, os animais foram distribuídos em 28 baias coletivas, mantidos em sistema de confinamento. A duração do experimento foi de 105 dias, onde 21 dias foram para adaptação dos animais e 84 dias de terminação. Durante todo o período experimental todos os animais foram submetidos ao mesmo manejo nutricional, onde foi ofertada uma dieta com elevada inclusão de concentrado (10% volumoso e 90% concentrado), composta por milho, sorgo, farelo de soja, ureia e mineral. Foram coletados dados de desempenho, e dados climáticos como, temperatura Média (Tméd), Temperatura Máxima (Tmáx), Temperatura Mínima (Tmín) e Amplitude térmica (ApT), índice de temperatura e umidade (ITU), índice de temperatura de globo negro e umidade (ITGU), umidade relativa (UR). Foram realizadas três coletas de sangue entre os períodos, para quantificar NUS (nitrogênio ureico no sangue) e AGNES (ácidos graxos não esterificados no sangue). O delineamento foi inteiramente ao acaso, onde foi e a baia foi considerada a unidade experimental. Para desempenho e índices climáticos foram estimadas correlações de Pearson. Os parâmetros metabólitos e desempenho entre os períodos foram avaliados pela ANOVA e teste de Tukey a 5% de significância. Foi utilizado o software R. Não houve correlação significativa (p>0,01) de Ganho de peso total (GPT), e consumo de matéria seca (CMS) entre os índices bioclimáticos. Entretanto o peso final (PF), eficiência alimentar (EA) e consumo/peso vivo (CMS/PV%) houve correlação significativa (p<0,01) entre os índices climáticos. Nos parâmetros de metabólitos não houve diferença significativa entre os períodos (p>0,01) para a variável AGNES, porém houve diferença significativa para a variável NUS (p<0,01) entre os períodos com 18,24 mg dL-1, 24,15 mg dL-1 e 23,57mg dL-1, no primeiro, segundo e terceiro período respectivamente. Conclui-se que de acordo com as correlações obtidas e o resultado de desempenho esperado para a raça Nelore em confinamento, que o clima do cerrado, não favoreceu ao estresse térmico durante o período experimental, assim como não afetou o metabólito AGNE, entretanto o NUS houve diferença entre os períodos, podendo ser efeito do elevado valor proteico da dieta.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1366651 - GLADSTON RAFAEL DE ARRUDA SANTOS
Externo à Instituição - JULIANO JOSÉ DE RESENDE FERNANDES
Externo à Instituição - SERGIO LÚCIO SALOMON CABRAL FILHO

Notícia cadastrada em: 11/02/2019 14:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema1.ema1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5