A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CESAR AUGUSTO RIZATO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CESAR AUGUSTO RIZATO
DATA: 22/02/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Mini auditório do PROZOOTEC/UFS
TÍTULO: Dinâmica da produção de forragem e do perfilhamento do capim-faixa-branca submetido a alturas de desfolhação
PALAVRAS-CHAVES: Digitaria eriantha, perfilho, ecofisiologia vegetal, persistência da pastagem, Nordeste Brasileiro
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

O objetivo com este trabalho foi avaliar a produção diária de forragem e dos componentes morfológicos e dinâmica da população de perfilhos do capim-faixa-branca submetido a quatro alturas de desfolhação em duas épocas do ano. Os tratamentos foram constituídos de quatro alturas de desfolhação (25, 35, 45 e 55 cm) e avaliados em duas épocas do ano [maior insolação (setembro a março) e menor insolação (abril a agosto)] no período de janeiro de 2015 a janeiro de 2016. Utilizou-se um delineamento em blocos completos casualizados com quatro repetições. A produção diária de folhas foi maior nas alturas de 35, 45 e 55 cm em relação à altura de 25 cm. A elevação das alturas de desfolhação aumentou a produção diária de colmo, produção diária total e acúmulo diário de forragem. Independente do período de avaliação a senescência diária de folhas aumentou com elevação na altura de desfolhação, sendo maior nas alturas de 45 e 55 cm no período de maior insolação. Independentemente do período de avaliação o índice de utilização reduziu com a elevação na altura de desfolhação, apresentou-se maior nas alturas de 25, 45 e 55 cm no período menor insolação. No período de maior insolação a produção diária de folhas foi menor, enquanto a produção diária de colmo e o acúmulo diário de forragem foi superior no período de menor insolação. A redução na altura de desfolhação aumentou as taxas de aparecimento e mortalidade de perfilhos e reduziu a taxa de sobrevivência de perfilhos. As taxas de aparecimento e mortalidade de perfilhos foram maiores na época de menor insolação. A taxa de sobrevivência, o balanço entre aparecimento e mortalidade, o índice de estabilidade e a densidade populacional de perfilhos aéreos foram maiores na época de maior insolação. Nos dois períodos, a elevação na altura de desfolhação reduziu a densidade populacional de perfilhos basais. Nas alturas de 25 e 35 cm, a densidade populacional de perfilhos basais foi maior no período de maior insolação. As alturas de desfolhação e épocas do ano avaliadas não alteram a estatibilidade da população de plantas, quando molhado, garantindo assim sua persistência. Maiores alturas de desfolhação resultam em menor renovação da população de perfilhos, assim como composição morfológica menos desejável.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2019408 - BRAULIO MAIA DE LANA SOUSA
Interno - 1684100 - JAILSON LARA FAGUNDES
Externo ao Programa - 1562875 - LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR

Notícia cadastrada em: 30/01/2017 16:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema1.ema1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5