A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: THIAGO DA GRAÇA HOLLATZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THIAGO DA GRAÇA HOLLATZ
DATA: 30/07/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Embrapa Tabuleiros Costeiros
TÍTULO: AVALIAÇÃO DA SUPLEMENTAÇÃO PROBIÓTICA COM ENTEROCOCCUS FAECIUM NA REPRODUÇÃO DO ACARÁ-BANDEIRA PTEROPHYLLUM SCALARE
PALAVRAS-CHAVES: Probiótico, reprodução, aqüicultura
PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
ESPECIALIDADE: Criação de Animais
RESUMO:

Algumas pesquisas na aquicultura são direcionadas para o uso dos alimentos

funcionais, especialmente os probióticos, que define-se como “células microbianas que são

adicionadas de maneira que entre no trato digestivo dos animais, com o objetivo de

melhorar a saúde do animal” (GASTESOUPE, 1999). Os probióticos são capazes de modular

ou reequilibrar a flora microbiana do hospedeiro, atuando como promotores de crescimento

por meio da produção de vitaminas, enzimas digestivas, disponibilidade de minerais,

aumento da disponibilidade de nutrientes através da quebra de compostos indigeríveis e o

aumento do apetite. Para o campo da reprodução, são relatados reflexos em parâmetros

reprodutivos como a taxa de fecundidade, fertilização, maturação gonadal e folicular,

produção de larva, índice gonadossomático, e também sobrevivência embrionária. Dentre

os potenciais probióticos temos o grupo das bactérias ácido-láticas que é o mais estudado,

dentre elas a Enterococcus faecium, encontradas no intestino dos peixes e que apresentam

resultados promissores sobre o desempenho zootécnico. Entretanto, poucas são as

informações sobre os reflexos que a E. faecium, isoladamente, pode gerar para reprodução

de peixes. A proposta do uso da espécie hospedeira Pterophyllum scalare (acará-bandeira)

está na vantagem de ser popular, resistente, prolífica e de grande demanda no mercado de

peixes ornamentais. Nesse contexto, o trabalho objetivou avaliar a suplementação

probiótica com Enterococcus faecium na reprodução do acará-bandeira. No experimento

foram usados 15 casais de acará-bandeira, submetidos à biometria no início e no final do

período experimental de 90 dias, distribuídos em 3 tratamentos: T1 (ração suplementada

com meio de cultura estéril), T2 (ração suplementada com E. faecium - 106 UFC/g) e T3

(ração suplementada com E. faecium - 108 UFC/g). Foi utilizada uma ração comercial com

36% PB; 2,5% FB; 5,5% EE que atendem as exigências da espécie trabalhada, fornecida em

2% do peso vivo do casal em 3 vezes ao dia (9:00, 13:00 e 17:00). Os parâmetros de água foram conferidos duas vezes ao dia (8:30 e 16:30) mantendo-se recomendados para a

espécie de peixe trabalhada, TºC= 30.2±0.8, pH=7.04±0.38 e OD>6mg/l. Foi utilizada uma

cepa de Enterococcus faecium já isolada e identificada por sequenciamento genético,

originária de um peixe da espécie Pterophyllum scalare . Os dados e materiais produzidos

como ovos e larvas foram registrados, coletados e fixados em solução de formol 4%

tamponada para as posteriores analises. Os índices zootécnicos dos reprodutores e

parâmetros reprodutivos foram submetidos ao teste T (<0,05) para comparação entre os

grupos experimentais usando o programa Action. O consumo de ração, ganho de peso e

conversão alimentar aparente dos reprodutores não apresentaram diferença entre os

tratamentos. Para o parâmetro reprodutivo número médio de desovas, os tratamentos que

receberam probiótico (T2 = 5,4±1.8 e T3 = 6.4 ± 1.8) foram superiores ao controle (T1 =

2±2,3). Para o número de ovos produzidos, o T3 (651,6±149) foi superior à T1 (462,3±268,8) e

T2 (545.1±172.5). Para o intervalo médio entre desovas, o T3 (13.7±4.7 dias) também foi

superior à T1 (21,6±9,8 dias) e T2 (17,8±7,9 dias). O peso médio dos ovos e o comprimento

da larva pós-eclosão não diferiram entre os tratamentos observados. O volume do ovo foi

maior no T1(1.19±0.44 mm³) comparado ao T2(0.99±0.23 mm³) e T3(0.81±0.09 mm³). Foi

observada diferença significativa entre T2 e T3 neste parâmetro. Para o volume de vitelo os

tratamentos T1(0.98±0.15 mm³) e T3 (0.94±0.15 mm³) apresentaram maiores valores em

relação ao T2(0.90±0.20 mm³). Para volume do saco vitelínico pós-eclosão, o T3(0.80±0.12

mm³) e o T2(0.77±0.26 mm³) foram superiores ao T1(0.73±0.09 mm³). Embora o desempenho

zootécnico dos reprodutores não tenha sofrido influencia do probiótico adicionado na

ração, o Enterococcus faecium na concentração 108 UFC/g melhorou o desempenho

reprodutivo do acará-bandeira.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 035.828.296-93 - ALEXANDRE NIZIO MARIA
Interno - 2021506 - CAROLINA NUNES COSTA BOMFIM
Externo à Instituição - PAULO CÉSAR FALANGHE CARNEIRO
Externo à Instituição - RODRIGO YUDI FUJIMOTO

Notícia cadastrada em: 15/07/2015 13:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5