A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ANA CARLA SANTANA ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CARLA SANTANA ANDRADE
DATA: 24/07/2014
HORA: 14:00
LOCAL: a definir
TÍTULO: Composição regional e tecidual da carcaça de cordeiros abatidos com diferentes espessuras de gordura subcutânea
PALAVRAS-CHAVES: Ovinos, Santa Inês, Longissimus dorsi, perna, musculosidade
PÁGINAS: 30
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Nutrição e Alimentação Animal
ESPECIALIDADE: Avaliação de Alimentos para Animais
RESUMO:

Este estudo foi realizado com o objetivo de avaliar o peso, o rendimento e a composição tecidual dos cortes comerciais e musculosidade da perna da carcaça de cordeiros Santa Inês abatidos com 2,0; 3,0 e 4,0 mm de espessura de gordura subcutânea, avaliadas por ultrassonografia no Longissimus dorsi. Foram utilizados 24 cordeiros, machos não castrados, com aproximadamente 100 dias de idade e peso vivo médio de 22,7± 3,75 kg. Os cordeiros permaneceram confinados, recebendo ração completa peletizada, calculada para ganho médio diário de 0,300 kg. Foram realizadas avaliações por ultrassonografia na região do lombo entre a 12ª e 13ª costelas e pesagens a cada 14 dias. Os cordeiros foram abatidos à medida que atingiam a espessura de gordura pré-determinada. As carcaças resfriadas foram seccionadas ao meio e na meia-carcaça direita foram efetuados cinco cortes comerciais: pescoço, paleta, costilhar, lombo e perna. Os cortes foram dissecados em gordura subcutânea e intermuscular, músculos, ossos e outros tecidos. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com três tratamentos e oito repetições por tratamento. Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância com utilização do teste Tukey a 5% de significância. Para os pesos dos cortes em relação à meia-carcaça, foram observadas diferenças significativas (P<0,05) para o peso da paleta e perna, sendo as maiores médias obtidas pelo cordeiros abatidos com 4,0 mm de espessura de gordura subcutânea. Não houve efeito da espessura de gordura para os rendimentos dos cortes. As porcentagens de músculos dos cortes pescoço, paleta, lombo e perna não diferiram (P>0,05) entre os tratamentos. O costilhar apresentou percentual de músculo maior (P<0,05) nos cordeiros abatidos com 3,0 mm. As gorduras subcutânea, intermuscular e total dos cortes da carcaça, foram maiores nos animais abatidos com 4,0 mm de espessura de gordura. Os cordeiros abatidos com 2,0 mm apresentaram maior percentual de ossos nos cortes da carcaça, do que os animais abatidos com 3,0 e 4,0 mm de espessura de gordura. A musculosidade da perna nos cordeiros abatidos com 2,0 mm foi menor (0,34), quando comparada à dos cordeiros abatidos com 3,0 e 4,0 mm de espessura de gordura. Houve diferença (P<0,05) na relação músculo:osso e músculo:gordura entre os tratamentos, com maiores valores para os cordeiros abatidos com 3,0 mm de espessura de gordura. A composição regional não foi influenciada pelas diferentes espessuras de gordura subcutânea, no entanto os componentes teciduais foram influenciados, onde os cordeiros abatidos com 3,0 mm de espessura de gordura subcutânea apresentaram maior proporção de músculos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1567364 - ANGELA CRISTINA DIAS FERREIRA
Presidente - 1366651 - GLADSTON RAFAEL DE ARRUDA SANTOS
Externo à Instituição - ROSA MARIA GOMES DE MACEDO

Notícia cadastrada em: 09/07/2014 07:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5