A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CHARLLE ANDERSON LIMA DE ALMEIDA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CHARLLE ANDERSON LIMA DE ALMEIDA
DATA: 13/12/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório da POSGRAP
TÍTULO: UTILIZAÇÃO DE DIFERENTES DIETAS NA PRIMEIRA ALIMENTAÇÃO DE TAMBAQUI (Colossoma macropomum, CUVIER, 1818).
PALAVRAS-CHAVES: Alimentação, Pós Larvas, ganho de peso, comprimento.
PÁGINAS: 30
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
RESUMO:

Para avaliar o desenvolvimento de larvas de Colossoma macropomum, foi conduzido um experimento nas instalações do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros do Betume (CODEVASF), localizada no perímetro Irrigado de Betume, no município de Neópolis-SE, de 08 a 15 de abril de 2013. Foram utilizadas 6.000 larvas de tambaqui, obtidas por indução hormonal, e transferidas para as unidades experimentais com idade de 4 dias com comprimento total de 5,70±0,2894 mm e peso médio inicial de 0,0012±0,0010 mg. Os animais transferidos aleatoriamente para 12 incubadoras modelo cilindro cônico de 25 litros e 4 de 75 litros com fluxo aberto (3,0 L/mim), na densidade de estocagem de 10 larvas/L. Os alimentos nas unidades experimentais foram fornecidos na proporção de 3g por incubadoras 25 litros e 9g por incubadoras de 75 litros, oito vezes ao dia, às (3h, 6h, 9h, 12h, 15h, 18h, 21h, 24h). Uma vez por dia com uma hora após a alimentação das larvas era feito uma a sifonagem das incubadoras para retirada de excretas e sobras de alimento. Em cada sifonagem, retirava-se, 50% do volume e posteriormente o fluxo de água era aberto. A cada dois dias, foram coletados aleatoriamente de cada incubadora 10% do total de indivíduos de cada incubadora, fixados em formol 4% tamponado, para a determinação do peso e comprimento e ao final do experimento, decorridos 8 dias, as larvas foram contadas para a determinação da taxa de sobrevivência. Para determinação do peso e do comprimento as larvas foi realizada medindo-se seu comprimento padrão, da ponta do focinho até o inicio da inserção da nadadeira caudal. As medições das larvas foram realizadas sob estereomicroscópio trinocular TZM-2 LED OPTIKA, equipado com uma câmera digital Optika Vision Lite com aumento 1,5x. Posteriormente, foram pesadas em uma balança analítica SHIMADZU, modelo AY220 (0,1mg). Os alimentos avaliados foram: T1 - pasta de branchoneta; T2 - leite em pó; T3 – albumina; T4 - ovos de artêmia salina descapsulados. Foram observadas diferenças significativa (P<0,05) entre os diferentes tratamentos para o comprimento e peso das larvas de tambaqui, pelo teste de Tukey. As larvas de tambaqui alimentadas com ovos de artêmia salina descapsulados, apresentaram comprimento e peso superior (P<0,05) ao observado nos demais tratamentos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1699576 - CLAUDSON OLIVEIRA BRITO
Interno - 1996023 - GREGORIO MURILO DE OLIVEIRA JUNIOR
Presidente - 1697805 - JODNES SOBREIRA VIEIRA

Notícia cadastrada em: 26/11/2013 15:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e