A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARISE STELA PAES DE AZEVEDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARISE STELA PAES DE AZEVEDO
DATA: 09/12/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 01
TÍTULO: Desenvolvimento e avaliação nutricional da farinha de resíduo de camarão.
PALAVRAS-CHAVES: Palavras-chave: Alimentos alternativos, processamento do camarão, poluição ambiental.
PÁGINAS: 30
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
RESUMO:

A avaliação de alimentos alternativos para a formulação animal é amplamente estudada, os quais visam à redução dos custos de produção e principalmente a diminuição dos impactos ambientais, caso este alimento seja produzido a partir de resíduos industriais com características danosas ao meio ambiente e sem o devido manejo. Neste contexto, o desenvolvimento da farinha de resíduo de camarão, originado da captura marítima, tem como principal finalidade minimizar os danos ambientais e servir como fonte de nutrientes ao ótimo desenvolvimento animal. Poucas são as informações acerca do processamento, métodos de conservação e seus efeitos sobre o desempenho animal. Portanto, objetivou-se com este trabalho desenvolver uma metodologia de secagem ao sol do resíduo de camarão e sua caracterização para futura utilização. As amostras de resíduo de camarão (RC) foram coletadas no entreposto pesqueiro de Aracaju-SE, foram quantificadas proporções de cabeça, casca e cauda ou cabeça e carapaça de camarão. Para determinar o tempo de secagem ao sol por área de exposição, foi utilizada uma plataforma de alumínio com área total de 15 m2, a qual foi dividida em seis subáreas de 2,5 m2 e alocada em cada uma as quantidades repetidas de 20; 35 e 50 kg de RC, totalizando 210 kg (40,70 e 100 kg, respectivamente). Para proteger as amostras contra insetos, permitir uma ótima a ventilação e a passagem de luz solar foi utilizada uma estrutura produzida em cano de PVC (6 x 4 m) coberta com tela plástica com malha 6 x 6 mm e diâmetro de fio de 0,25 mm. Para facilitar a secagem, as amostras foram revolvidas quatro vezes ao dia e a temperatura e a humidade relativa do ar medidas a cada 15 min com termohigromêtro (HTR-157). Após a secagem do resíduo, foi separada uma pequena amostra de cabeça e outra de carapaça que foram moídas e enviadas para análises de minerais e proteína bruta. Baseado nas informações de campo e laboratorial, o camarão de captura marítima apresentou 33,6 % de cabeça, 11,73 % de carapaça e 54,7 % de massa muscular. A matéria seca do resíduo de camarão após seco ao sol foi de 23 %. As características ambientais durante a secagem foram de 25 ºC e 47,3 ºC para temperaturas mínimas e para as máximas respectivamente e umidade relativa do ar ficou entre 50,2 e 93,7 %. Essas condições permitiram que a secagem de 40, 70 e 100 kg de RC ocorresse em 35, 45 e 55 horas, respectivamente. As análises minerais e protéicas mostraram que a farinha de cabeça de camarão apresentou proteína bruta, 39,3 % ; cálcio, 1,08 % ; fósforo 1,66 % ; sódio, 1,47%; flúor 294 mg/Kg; enxofre, 1,04%; magnésio 0,61%; cobalto 9,91 mg/Kg; cobre 55,9 mg/Kg; ferro 612mg/Kg; manganês 23 mg/Kg e zinco 65,8 mg/Kg. Para a farinha de carapaça foram quantificados para proteína bruta, 32%; cálcio, 1,06%; fósforo 1,92%; sódio, 1,19% ; flúor 294 mg/Kg; enxofre, 1,25%; magnésio 0,661%; cobalto 9,34 mg/Kg; cobre 27,9 mg/Kg; ferro 149 mg/Kg; manganês, 14.1 mg/Kg e zinco, 52,1 mg/Kg. As farinhas de cabeça e carapaça de camarão, preparadas de forma simples e barata, possuem características nutricionais que podem ser utilizadas em rações. Novos estudos estão em andamento para determinar a digestibilidade dos nutrientes e valores de energia metabolizável para frangos de corte.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1699576 - CLAUDSON OLIVEIRA BRITO
Interno - 1996023 - GREGORIO MURILO DE OLIVEIRA JUNIOR
Interno - 1697805 - JODNES SOBREIRA VIEIRA

Notícia cadastrada em: 11/11/2013 15:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5