Notícias

Banca de DEFESA: CRISTIANO RICARDO DE AZEVEDO PACHECO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTIANO RICARDO DE AZEVEDO PACHECO
DATA: 22/02/2018
HORA: 17:00
LOCAL: Sala de aula do PPGS
TÍTULO: ARQUITETURA E URBANISMO: ESTRATÉGIAS PROFISSIONAIS, DISPUTAS MERCADOLÓGICAS E ASCENSÃO PROFISSIONAL
PALAVRAS-CHAVES: Nova Regulamentação Profissional. Arquitetura e Urbanismo. Conflitos Extraprofissionais. Formas de Atuação. Mecanismos Sociais.
PÁGINAS: 163
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

Esta dissertação tem como objetivo analisar os arquitetos e os seus espaços de atuação profissional, em específico, analisar quais as circunstâncias sociais, institucionais e políticas de participação profissional em instâncias do mercado de trabalho. A saída dos arquitetos do pregresso Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA) e a criação do novo conselho de Arquitetos e Urbanistas (CAU) trouxeram à tona debates sobre os confrontos extraprofissionais e as possíveis estratégias de reserva de mercado. Nesse sentido, as discussões em torno da instalação do novo conselho representativo dos arquitetos possibilitaram mostrar a luta pela definição dos investimentos para inserção profissional e ascensão na carreira. Dessa forma, os agentes se utilizam de um conjunto de recursos acumulados relacionado às origens sociais e à inserção em esferas sociais diversas. Contudo, os confrontos extraprofissionais para imposição de atuação e atribuições de profissões distintas foram reveladores não apenas de uma luta por espaço no mercado de trabalho, mas também possibilitaram mostrar uma divisão interna, entre os pares arquitetos, estimulada por diversificações de opiniões quanto às formas e às condutas de atuação no mercado de trabalho. Para compreender os conflitos em análise, tornou-se fundamental assimilar o sistema de relações sociais que os arquitetos estabelecem entre si, entre demais atores e o mercado de trabalho. Para isso, foi preciso pesquisar as ações corporativas e informais, para colher as dinâmicas sociais e a cultura profissional do grupo de arquitetos e urbanistas. Em vista disso, foram analisados os espaços de atuação, revelando-se as relações profissionais a partir do ingresso de novos atores em um mercado considerado restrito pelos arquitetos e urbanistas. O universo empírico considerado é constituído, de um lado, pelos arquitetos estabelecidos em Aracaju e que são considerados protagonistas no mercado local, e de outro lado, pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Sergipe. No decorrer do trabalho, foram estudadas suas trajetórias biográficas e profissionais. Para cumprir os propósitos aqui apresentados, esta pesquisa subdividiu-se em três etapas principais. No primeiro momento, efetivou-se um estudo histórico do processo de estruturação do campo de atuação do arquiteto, distinguindo os atores que compõem esse espaço e como aconteceram as discussões de socialização profissional. No segundo momento, investigou-se o que o arquiteto faz na prática e quais seus principais espaços de atuação, discernindo as influências sociais, políticas e econômicas que refletiram na trajetória da profissão. Por fim, identificaram-se os conteúdos e formas de sociabilidade dos arquitetos protagonistas que investem nos principais campos de atuação profissional, assentando-se nas alterações ocorridas no mercado de trabalho após a nova regulamentação profissional. Esta dissertação possibilitou demonstrar como os espaços de atuação dos arquitetos evidenciam as formulações sobre o mercado de trabalho e sua posição como arquiteto e urbanista frente aos demais atores, entre seus pares e perante a sociedade. A presente pesquisa permitiu testemunhar que o exercício da atividade de arquitetura e urbanismo apresenta-se associado à competência de aplicação em diversas áreas e que essa condição proativa é determinante para o êxito na trajetória profissional. Além disso, encontram-se, aqui, informações que permitiram a compreensão da história coletiva da profissão e, dessa forma, possibilitaram reconhecer os recursos que descrevem os investimentos na profissão de arquitetura e urbanismo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1523397 - FERNANDA RIOS PETRARCA
Interno - 426602 - ROGERIO PROENCA DE SOUSA LEITE
Externo à Instituição - VERONICA TEIXEIRA MARQUES
Notícia cadastrada em: 09/02/2018 11:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c