Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CRISTIANE MONTALVÃO GUEDES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTIANE MONTALVÃO GUEDES
DATA: 11/10/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala do NEPIIS - Didática 2
TÍTULO: E o Mar vai virar Sertão? Desenvolvimento e Navegação: Um estudo das condições de vida no Baixo São Francisco
PALAVRAS-CHAVES: Navegação. Políticas de Desenvolvimento. Usos múltiplos da água. Modus vivendi.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

A Bacia Hidrográfica do São Francisco a partir da década de 1970 atraiu para si mais substancialmente as ações governamentais. Este foi o período em que ações estatais começaram a modificar consideravelmente as dinâmicas das comunidades às suas margens. Um dos grandes motivos foi a construção de uma cascata de Usinas Hidrelétricas ao longo do rio, visando a promover infraestrutura para o desenvolvimento do Nordeste e para a sua integração a outras regiões brasileiras. O modelo de desenvolvimento adotado voltou-se não somente para o setor elétrico, mas incluiu os setores agrícolas e industriais, através de projetos, como os de irrigação, cuja execução não atendeu à maioria dos ribeirinhos. A intenção também era mitigar os danos ambientais causadas pela implantação das barragens. O modelo de desenvolvimento tornou a navegabilidade sujeita a impactos sentidos até hoje e que se agravam com as intervenções no sistema de cheias e vazantes que beneficiam o setor elétrico. O Baixo São Francisco viu serem destruídas as várzeas marginais, o que afetou a produção pesqueira e a rizicultura, ao mesmo tempo em que passou a conviver com a ameaça à navegação, devido às mudanças na fisionomia do seu ambiente aquático. O transporte fluvial hoje se insere nos conflitos pelo uso múltiplo da água. Transcorridos 50 (cinquenta) anos, o Baixo São Francisco continua sem oferecer à sua população ribeirinha a devida sobrevivência econômica, a qual vem tentando reinventar o seu modo de viver. O que de falho ocorre para que as agências públicas continuem no século XXI sem proporcionar melhorias socioambientais num contexto de divulgação da ideia de desenvolvimento sustentável, e por que o poder público não tem se voltado para o “Velho Chico” como importante hidrovia brasileira? A tese tem como tema a “Políticas de desenvolvimento e navegação no Baixo São Francisco” e envereda-se, a partir de um viés fundamentalmente etnográfico, pelo seguinte objetivo: analisar as políticas implantadas ao longo da bacia hidrográfica do São Francisco, em nome de um modelo de desenvolvimento, e as consequências para a navegabilidade e a vida dos ribeirinhos no trecho conhecido como Baixo São Francisco.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6426371 - TANIA ELIAS MAGNO DA SILVA
Interno - 1494768 - MARCELO ALARIO ENNES
Interno - 1227719 - PAULO SERGIO DA COSTA NEVES
Notícia cadastrada em: 05/09/2016 13:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10803-399c5c35c