Notícias

Banca de DEFESA: EWERTHON CLAUBER DE JESUS VIEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EWERTHON CLAUBER DE JESUS VIEIRA
DATA: 11/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de aula do PPGS - Didática 2
TÍTULO: Espetacularização da cidade e (re)apropriações culturais: políticas urbanas e as novas imagens de consumo de Salvador, BA.
PALAVRAS-CHAVES: Políticas Urbano-culturais; Imagens de consumo; Espetacularização da cidade; Salvador; Megaeventos.
PÁGINAS: 442
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
SUBÁREA: Sociologia Urbana
RESUMO:

Este trabalho, resultante da pesquisa doutoral desenvolvida no âmbito do Programa de Pós-Graduação e Sociologia da Universidade Federal de Sergipe, investigou as políticas urbano-culturais e a construção da imagem de consumo da cidade de Salvador-BA, durante o período de preparação e realização das Copas da FIFA no Brasil (2009-2014). Da candidatura a sede dos referidos megaeventos até o momento de suas realizações, observou-se como as referências imagéticas da capital baiana foram construídas pela articulação de empreendedores urbanos do poder público (a nível municipal, estadual e federal), de determinados setores privados locais, além de organizações paraestatais como a FIFA. Nesse sentido, a cidade que desde as últimas décadas do século XX possui sua imagem de consumo oficial projetada para o mercado turístico, passou a ter com o tempo de megaeventos esportivos a condição histórica de realizar o esgarçamento da lógica de mercantilização urbano cultural, através de estratégias de city marketing que articularam um suposto passado de glória com as discutíveis novas técnicas de gestão urbana. Mediante a configuração retórica de um contexto excepcional de “oportunidade única” para o desenvolvimento socioeconômico local, se forjou uma espécie de cidade de exceção, sob a qual oficialmente buscou-se legitimar as intervenções projetadas e implementadas. O argumento defendido aqui entende que essas políticas urbano-culturais contribuíram na reinvenção da imagem de consumo de Salvador, através de um processo geral de espetacularização da cidade, caracterizado pela política às avessas, dissimulada enquanto valorização cultural local, mas efetivamente fundamentada na dinâmica de sua reificação, mediante uma espécie de beleza do morto. Para tanto, as apropriações estratégicas das práticas culturais locais se articularam com a produção de espaços de consumo, capazes de enunciar espetacularmente para o mercado financeiro e consumo turístico, o pastiche da ideia de cidade da diferença. Não obstante, em face dessas apropriações, determinadas reapropriações culturais locais também se forjaram, enquanto um conjunto diverso de resistências que reclamam, em níveis e características distintas, uma gama de direitos negados pelos empreendedores urbanos. Contudo, apesar de, em alguma medida, essas reapropriações contestarem o funcionamento gerencial do espetáculo, sua forma antinormativa não se apresentou capaz de subverter e destituir a lógica produtiva da espetacularização.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - IRLYS ALENCAR FIRMO BARREIRO
Externo à Instituição - LUCIA MARIA MACHADO BÓGUS
Interno - 1494768 - MARCELO ALARIO ENNES
Interno - 2020950 - MARIANA SELISTER GOMES
Presidente - 426602 - ROGERIO PROENCA DE SOUSA LEITE
Notícia cadastrada em: 05/02/2016 14:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10668-754907a47