Notícias

Banca de DEFESA: GILBERTO DE MOURA SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GILBERTO DE MOURA SANTOS
DATA: 19/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de aula do PPGS - Didática 2
TÍTULO: Religião e Política no campo evangélico contemporâneo: ancoragens, homologias e retraduções.
PALAVRAS-CHAVES: religião; política; identidades; debate público; conservadorismo pragmático.
PÁGINAS: 262
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
SUBÁREA: Outras Sociologias Específicas
RESUMO:

A presença de atores religiosos na construção do debate público é, no Brasil, indisfarçável. Nesta senda, merecem destaque as igrejas evangélicas. Algumas denominações são relativamente capazes de mobilizar seus membros em torno de demandas específicas ou até de projetos políticos mais amplos. Entretanto, filiações religiosas não definem, per se, adesões políticas. Aliás, relações de afinidades entre ambas as esferas são, normalmente, parciais, além de muito complexas. É verdade que um fiel engajado, a fim de justificar seus posicionamentos políticos, tenderá a evocar concepções religiosas disponíveis no grupo ao qual pertence. Mas tal fato não produz, necessariamente, convergências identitárias muito estáveis no grupo, vez que as concepções religiosas ou políticas são incessantemente retraduzidas pelos agentes. Deste modo, as homologias suscitadas aqui e as regularidades nas ações dos indivíduos são contingentes, no entanto, sempre possíveis. Ocasionalmente, elas se traduzem em modos de participação, de inserção dos fiéis nos espaços públicos, adesões políticas e discursos de alguma maneira ancorados a formas peculiares de vivenciar a religião. Sendo assim, indaga-se inicialmente: que tipos de articulações entre religião e política estão sendo produzidas nos espaços sociais que interessam a esta investigação? Tais homologias ensejam regularidades significativas, definições identitárias? Para enfrentar estes problemas, recorreu-se a uma pesquisa centrada na observação participante que pretendeu cotejar os posicionamentos políticos empreendidos pelos fiéis evangélicos enfocados neste trabalho e as justificativas religiosas por eles mobilizadas. O que implicou uma análise dos diferentes discursos que buscam justificar a participação dos atores religiosos no debate público. A Tese ainda perquiriu convergências de maior alcance no discurso evangélico contemporâneo, razão pela qual foram elencadas na investigação duas denominações muito diferentes entre si: os tradicionais e os pentecostais de segunda onda. A despeito da diversidade encontrada no interior dos grupos estudados, e das singularidades de cada denominação religiosa, a pesquisa se deparou com um tipo discurso, difundido em graus variados nos espaços religiosos, denominado aqui de conservadorismo pragmático.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - MARCOS ANTONIO ALMEIDA SANTOS
Presidente - 2222766 - MARCUS EUGENIO OLIVEIRA LIMA
Interno - 1227719 - PAULO SERGIO DA COSTA NEVES
Externo ao Programa - 3316721 - PERICLES MORAIS DE ANDRADE JUNIOR
Interno - 1195417 - WILSON JOSE FERREIRA DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 04/02/2016 10:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10787-147c949b3