Notícias

Banca de DEFESA: CARLA BETÂNIA REIHER

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLA BETÂNIA REIHER
DATA: 09/07/2015
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório da Pós - Graduação - Didática II
TÍTULO: "Sociabilidades e cotidiano: A Praça Mauá em Porto Alegre"
PALAVRAS-CHAVES: interações sociais; cotidiano; espaço urbano; sociabilidades; estudos urbanos.
PÁGINAS: 138
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
SUBÁREA: Outras Sociologias Específicas
RESUMO:

Este estudo se insere no contexto de análises dos processos de interações sociais nos espaços urbanos, dentro da perspectiva da sociologia da vida cotidiana das e nas grandes cidades, onde a partir de então pretende-se apreender tais processos e revelar as minúcias do dia-a-dia dos indivíduos usuários de espaços urbanos. Esta pesquisa tem como objeto empírico a Praça da Alfândega situada no Centro Histórico da cidade de Porto Alegre; com o objetivo de investigar e apreender as particularidades do cotidiano dos indivíduos que tomam a Praça como um espaço de interações sociais. A realidade social dos grandes centros urbanos traz consigo uma pluralidade de formas, diferentes entre si, de interações sociais, sendo a cidade, por usa complexidade, um grande laboratório de estudos da sociedade, e da vida cotidiana, uma vez que abriga uma multiplicidade de mundos, uma pluralidade de conteúdos, que o indivíduo toma pra si e elabora-os nas interações, nos processos de socialização e nas sociabilidades praticadas. Discute-se nesse trabalho inicialmente a influência dos escritos de Georg Simmel para os estudos urbanos e as relações sociais que perpassam desde processos de interações sociais efêmeras até de sociabilidades. Fazemos uma apresentação do campo da sociologia da vida cotidiana, como uma forma de análise que privilegia os processos de subjetivação do indivíduo, como estes interagem entre si e com a realidade social que os cercam no seu dia-a-dia, revelando assim, a partir de análises microssociais as interações que permeiam tal realidade. Na segunda parte deste trabalho trataremos de uma análise da formação do objeto empírico (a Praça da Alfândega) e as transformações socioespaciais ocorridas na mesmo. Posteriormente entramos no campo empírico atual e análise dos dados, na tentativa de apreender a vida cotidiana da Praça, suas representações sociais e as interações sociais alocadas em tal espaço urbano. Os estudos urbanos, no que tange as Ciências Sociais contribuem para o conhecimento da realidade social urbana. O crescimento das cidades, reflexo do aumento populacional que, em grande medida derivado do êxodo rural, atraídos pelo desenvolvimento industrial, nos remete a uma faceta das possibilidades de estudos de tais transformações, que perpassam a maioria das vezes por análises socioeconômicas na esfera macroestrutural. Porém, por outro lado, essas transformações nos permitem também analisar os processos sociais na sua categoria micro, desvelando as dinâmicas que perpassam a realidade social urbana, e consequentemente as transformações socioespaciais; as relações sociais desse homem urbano e os processos de interações sociais em que o mesmo está imerso, e que irá refletir nas dinâmicas e práticas sociais nos espaços urbanos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1523397 - FERNANDA RIOS PETRARCA
Externo à Instituição - JOSEANE PAIVA MACEDO BRAND?O
Presidente - 426602 - ROGERIO PROENCA DE SOUSA LEITE
Notícia cadastrada em: 25/05/2015 16:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c