A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ALESSANDRA CARDOSO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALESSANDRA CARDOSO DA SILVA
DATA: 25/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Forma remota Google Meet
TÍTULO: “Uma etnografia da cidade: Análise sobre projetos e empreendimentos pensados para a zona de expansão de Aracaju"
PALAVRAS-CHAVES: Etnografia; Cidade; Aracaju; Zona de Expansão
PÁGINAS: 143
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Antropologia
SUBÁREA: Antropologia Urbana
RESUMO:

Por meio dessa pesquisa, busquei investigar e refletir acerca de projetos e empreendimentos pensados para a Zona de Expansão de Aracaju, capital do Estado de Sergipe, local onde resido e que é também um dos objetos de minha atividade profissional. Como o próprio nome sugere, trata-se da região que foi assim definida para fins de expansão, planejamento urbano e ocupação futura na capital sergipana, quando de sua delimitação em 1982, pela Lei Municipal nº 873, correspondendo a quase 40% (quarenta por cento) do território do município de Aracaju, e nela, a maior parte dos chamados “vazios urbanos” na cidade. Busquei desenvolver uma espécie de “etnografia da cidade”, como aquilo que Clifford Geertz (1989) chamou de “descrição densa”. Uma “leitura” que busca compreender, seja uma briga de galos (GEERTZ, 1989), seja o Direito (GEERTZ, 2001), sejam as cerimônias e o espetáculo do Estado (GEERTZ, 1980), sejam os projetos e empreendimentos urbanísticos de uma cidade, como um texto através do qual podemos eventualmente compreender como os atores sociais representam, imaginam e criam a própria realidade. Neste trabalho, portanto, procurei lançar um olhar sobre as intervenções urbanísticas realizadas na área e as transformações que estão sendo imaginadas para a cidade. Como destaca Laura Nader (1972), é importante que a antropologia procure estender o seu olhar para os segmentos que exercem uma relação de dominação ou poder nas sociedades. Afirma a autora, “estudar para cima” ajuda a compreender como estes setores afetam a vida dos demais. A tentativa de interpretação sobre os argumentos e dados oficiais, em paralelo ao encontrado no espaço urbano, ao meu olhar como moradora da região, e a sua representatividade para a cidade, portanto, acompanhou toda a pesquisa. Lados e recortes de uma mesma expansão são as pistas dos achados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 027.020.824-08 - LEONARDO LEAL ESTEVES
Externo à Instituição - LUIZ EDUARDO PINHEIRO SARMENTO
Interno - 1362715 - LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
Externo ao Programa - 1362711 - ROSANA EDUARDO DA SILVA LEAL

Notícia cadastrada em: 28/01/2022 09:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r17812-7a158b2568