A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LUANA DE MENEZES DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANA DE MENEZES DE SOUZA
DATA: 30/11/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do DFA
TÍTULO: Micelas poliméricas termorreversíveis contendo óleo essencial de citrus sinensis para o tratamento inovador da leishmaniose
PALAVRAS-CHAVES: micelas poliméricas, poloxâmeros, limoneno, leishmaniose.
PÁGINAS: 87
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

As leishmanioses são doenças infectoparasitárias que acometem anualmente cerca de 1,3milhões de pessoas no mundo e aproximadamente 28 mil pessoas no Brasil, sendo consideradaum problema de saúde pública. Os tratamentos destas apresentam inconvenientes, como reaçõesadversas, efeitos colaterais e alto custo empregado. Neste sentido, o óleo essencial de Citrussinensis que apresenta baixa toxicidade e atividade antileishmania, mostra-se como umaalternativa para o tratamento dessas doenças. Assim, o objetivo desse trabalho é desenvolvermicelas poliméricas termorreversíveis para encapsulamento do óleo essencial de Citrussinensis, visando sua aplicação no tratamento da leishmaniose. Para possibilitar isso,inicialmente foram desenvolvidas micelas poliméricas inertes e micelas contendo óleo essencialde Citrus sinensis com e sem quitosana, seguida da caracterização das micelas, por meio dadeterminação do diâmetro médio, índice de polidispersão, potencial zeta, temperatura micelarcrítica, análise reológica, determinação da Tsol-gel, microscopia eletrônica de varredura emicroscopia de luz polarizada acoplada a hot-stage. Para além disso, foram realizados ensaiosde viabilidade in vitro contra formas promastigotas de Leishmania amazonenesis, paraavaliação da atividade antileishmania. Como resultados foram encontrados diâmetros médiosvariando entre 19,69nm e 31,45nm, PDI compreendido entre 0,17 e 0,22, potencial zetanegativo, variando entre -0,6 e -6,1, para os sistemas sem quitosana e positivo, variando entre+0,17 e +1,3, para os sistemas com quitosana, TMC variando entre 17.95°C e 18,77°C e Tsol-gelvariando entre 22,51°C e 35,26°C. Com relação as microscopias, foi possível observar que ossistemas possuíram homogeneidade e classificação de sistema ansiotrópico, com presença defase lamelar e fase hexagonal. No que tange a atividade antipromastigota contra espécieLeishmania amazonensis, os hidrogéis inertes sem quitosana e com quitosana apresentaramIC50 10,41 μg/mL e IC50 12,13 μg/mL respectivamente e os hidrogéis contendo OECS e OECS+ quitosana possuíram IC50 5,47 μg/mL e IC50 4,32 μg/mL possuindo atividadeantipromastigota superior a encontrada para o OECS isolado (235,3 μg/mL), sugerindo apotencialidade do uso dos sistemas micelares como agente antileishmania promissor. Tendo emvista isso, faz-se necessário estudos in vitro para avaliação da citotoxicidade frente a célulasTHP-1 diferenciadas e viabilidade dos hidrogéis contra formas amastigotas intracelulares.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1686032 - ANA AMELIA MOREIRA LIRA
Externo ao Programa - 3336357 - MARIA DE LARA PALMEIRA DE MACEDO ARGUELHO
Presidente - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES

Notícia cadastrada em: 24/11/2022 07:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18277-8067e35817