A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ALDA CRISTINA MENEZES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALDA CRISTINA MENEZES DA SILVA
DATA: 26/08/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Laboratório/ DGE Didática III Universidade Federal de Sergipe
TÍTULO: TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA A PARTIR DA METODOLOGIA ATIVA DA PROBLEMATIZAÇÃO, EM JANDAÍRA, BAHIA
PALAVRAS-CHAVES: Educação Ambiental Crítica. Arco de Maguerez. Turismo sustentável.
PÁGINAS: 121
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

O Turismo de Base Comunitária (TBC) é um modo de fazer turismo, que prioriza as necessidades do lugar, das pessoas, da cultura e do meio ambiente. Esta dissertação surgiu de inquietações que versaram sobre como o uso da metodologia ativa da Problematização pode contribuir com reflexões no processo de criação, organização e fortalecimento do TBC. Nesse sentido, o objetivo geral deste estudo é analisar o uso da metodologia ativa da problematização, junto aos estudantes da Escola Municipal Joana Almeida Pinto e comunidade do entorno, no processo de reflexão para implementar o TBC em Jandaíra, Bahia. Partindo deste entendimento, constituem-se os objetivos específicos que conduzirão a dissertação: caracterizar a comunidade de Ponte de Itabatinga em suas relações com a atividade turística; avaliar o uso da metodologia da problematização nas reflexões sobre a criação do TBC junto aos estudantes da escola pesquisada e à comunidade de Ponte de Itabatinga; investigar as contribuições da metodologia da problematização para a organização e fortalecimento do TBC junto às pessoas objeto da pesquisa; produzir uma cartilha educacional sobre o uso da metodologia da problematização para implementação do TBC. A metodologia foi centrada na fenomenologia. A análise dos dados qualitativos foi orientada pelo método de análise do discurso. Após autorização da pesquisa pelo Comitê de Ética da Universidade Federal de Sergipe, o projeto foi apresentado à gestão escolar, alunos e comunidade. Dando continuidade, seguiu-se para as etapas do modelo Arco de Maguerez: observação da realidade; identificação dos pontos-chaves; teorização; hipóteses de solução; e aplicação à realidade. Foram analisadas as seguintes unidades de sentido: a. Educação ambiental crítica: Meio ambiente, região, siginicados e sentidos; b. Cultura local e inclusão social: histórias, significado, emoção, alegoria, identidade; c. Turismo de base comunitária: lugares, despersão, conjunção, diversidade, sujeito, historia, identidade e ideologia, sociais, econômicos. Partindo dos achados do trabalho, considera-se que foram encontrados elementos que podem ser usados como subsídios para a criação de um projeto de TBC na comunidade pesquisada. Como apoio pedagógico, foi produzida uma cartilha educacional que caracteriza a comunidade, explica o que é TBC, bem como as etapas do Arco de Maguerez junto aos participantes da pesquisa na comunidade de Ponte de Itabatinga.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1821173 - DENIO SANTOS AZEVEDO
Interno - 1705984 - JOELMA CARVALHO VILAR
Externo ao Programa - 1190318 - NUBIA DIAS DOS SANTOS
Presidente - 1327544 - SINDIANY SUELEN CADUDA DOS SANTOS

Notícia cadastrada em: 19/08/2022 14:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5