Notícias

Banca de DEFESA: PAULO RICARDO DE SANTANA PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PAULO RICARDO DE SANTANA PEREIRA
DATA: 19/02/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Campus Lagarto
TÍTULO: ANÁLISE DOS FATORES PREDITIVOS DAS LESÕES MUSCULOESQUELÉTICAS EM ATLETAS PROFISSIONAIS DE FUTEBOL
PALAVRAS-CHAVES: Futebol; Lesão; Musculoesqueléticas; Epidemiologia; Força Muscular
PÁGINAS: 67
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução: O futebol é um dos esportes mais populares do mundo, existindo umamédia de 265 milhões de praticantes. Este tipo de esporte exige uma grandevariedade de atividades cinéticas, portanto, tem altas taxas de lesões, relacionadasa alguns fatores de riscos como: força muscular, equilíbrio dinâmico e amplitude demovimento (ADM). Objetivos: Avaliar os fatores preditivos que ocasionam as lesõesmusculoesqueléticas em jogadores profissionais de futebol. Correlacionando aincidência das lesões com variáveis biomecânicas avaliadas. Métodos: Os atletasforam avaliados em dois momentos distintos: período da pré-temporada, 30 diasantes do início da competição; e pós-temporada, até 02 dias do término da mesmacompetição. Após o final do campeonato, foi consultado o banco de dado dodepartamento médico do clube, para quantificar a incidência das lesões com suassubclassificações e posteriormente correlacionar com as variáveis avaliadas. Asdiferenças nas medidas de tendência central no desenho pareado foram avaliadaspor meio dos testes T para amostras pareadas se o pressuposto de normalidadefosse atendido ou do teste de Wilcoxon caso não; e no desenho não pareado teste Tpara amostras independentes caso a normalidade fosse confirmada ou teste deMann-Whitney caso não; também foram estimadas razões de chance brutas eajustadas por meio de regressão logística simples e múltipla. O projeto de pesquisafoi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa com Seres Humanos da UniversidadeFederal de Sergipe (CEP/UFS), sob o número do parecer 2.832.391. Resultados: Aamostra foi composta por 41 atletas (idade 26,0 ± 5,4, peso 76,2 ± 8,5, altura 180 ±6,9, IMC 26,4 ± 1,4), destes, 69,3% apresentaram lesões musculoesqueléticas; foinos membros inferiores que se concentraram a maior parte (95%), a maioria sendona coxa (52,5%), seguido do joelho (20%) e tornozelo (12,5%). Na comparaçãoentre os dois momentos de avaliação, os resultados de equilíbrio dinâmico dosatletas apresentaram diferença significativa para todas as direções avaliadas, adireção anterior apresentou uma diminuição (p=0,007); os resultados de ADM paradorsiflexão apresentaram aumento significativo (p=0,001); na variável de forçamuscular, foi percebido aumento da força dos flexores do tronco (p=0,002) ediminuição dos flexores do joelho (p=<0,001) com tamanho de efeito grande. Nacorrelação, percebe-se que os atletas com menos equilíbrio dinâmico apresentarammais lesões musculares na coxa (PLD: p=0,004 e PLE: p=0,002); voluntários commenos ADM para dorsiflexão do MID tiveram mais entorse de tornozelo (p=0.039),com tamanho de efeito grande (D=-1.174); os atletas com menos equilíbrio dinâmicoanterior apresentaram mais tendinopatias (p=0,030), tamanho de efeito grande (d=-1,136). Conclusão: Existe alteração de força muscular, equilíbrio dinâmico e ADMdurante uma temporada de futebol. E essas variáveis têm relação com os principaistipos de lesões: lesão muscular e equilíbrio dinâmico; entorse de tornozelo comADM; e tedinopatias com equilíbrio dinâmico.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 3573579 - ANDRÉ SALES BARRETO
Presidente - 2137199 - PAULA SANTOS NUNES
Externo à Instituição - PAULO AUTRAN LEITE LIMA
Notícia cadastrada em: 13/02/2020 16:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r11747-970edecc06