A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ANDREZA MOTA DE OLIVEIRA ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDREZA MOTA DE OLIVEIRA ANDRADE
DATA: 30/05/2022
HORA: 14:30
LOCAL: PPGCOM/UFS
TÍTULO: “Narrativas jornalísticas multiterritoriais: a construção dos espaços de vida na morte de uma celebridade em Sergipe”
PALAVRAS-CHAVES: Geografias da Comunicação; cobertura multiterritorial; território-rede; Portal G1; morte como acontecimento jornalístico.
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
SUBÁREA: Jornalismo e Editoração
ESPECIALIDADE: Teoria e Ética do Jornalismo
RESUMO:

A pesquisa desenvolvida para esta dissertação tem como eixo de sustentação o conceitode “multiterritorialidade”, a partir de Rogério Haesbaert, aplicado a um estudo de caso:a cobertura jornalística do acidente aéreo em que morreu o cantor Gabriel Diniz (em2019, em Estância, Sergipe), realizada pelo Portal G1. Esta plataforma digital agrega osconteúdos produzidos pelas emissoras afiliadas e canais próprios da Rede Globo deTelevisão e atende à estratégia de regionalização midiática da Rede, cuja cobertura desinal alcança 98% do território brasileiro. Tal cobertura envolve narrativascomplementares sobre um personagem construídas a partir dos múltiplos territórios aele relacionados, seja por sua trajetória de vida, seja pelo percurso relacionado aoacidente fatal, ou por sua agenda profissional interrompida. Nesse sentido, a revisão deliteratura inclui também os conceitos de “escalas geográficas aplicadas ao jornalismo”(Aguiar, 2016; 2019) e de “território-rede” (Haesbaert, 2004; 2014), além de reflexõessobre o jornalismo local-regional, o princípio de proximidade e a noção deregionalização. Quanto ao aporte metodológico, foram aplicados procedimentos daAnálise da Cobertura Jornalística (Silva e Maia, 2011) e da Análise Pragmática da Narrativa Jornalística (Motta, 2008; 2017) em um total de 87 matérias coletadas no período que abrange o dia do acidente (27 de maio de 2019) e os três dias seguintes de repercussão do acontecimento. Espera-se que a dissertação contribua com novos olhares sobre a cobertura jornalística de acontecimentos geograficamente abrangentes, em especial a outros modelos de cobertura jornalística multiterritorial, cuja relevância não se resume à notoriedade dos personagens da notícia.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - LIANA VIDIGAL ROCHA
Presidente - 308938 - SONIA AGUIAR LOPES
Interno - 2997152 - VITOR CURVELO FONTES BELEM

Notícia cadastrada em: 04/05/2022 11:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r17718-4d8e4e57be