A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Aceito
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANA ALVES CAMPOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA ALVES CAMPOS
DATA: 15/09/2021
HORA: 15:00
LOCAL: Webinar - Link meet.google.com/jyz-bhce-ucy
TÍTULO: ADOÇÃO OU NÃO? EIS A QUESTÃO! DIFUSÃO DA INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE NA MPE: UMA ANÁLISE EM TEMPOS DE PANDEMIA
PALAVRAS-CHAVES: Adoção de inovação em pequenos negócios. Difusão de Inovação e Competitividade nas Mpes. Competitividade das MPEs em período de pandemia
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
SUBÁREA: Administração de Empresas
RESUMO:

O presente trabalho propõe uma leitura que parte do modelo de adoção de inovação proposto por Rogers (1983) para mensurar em que medida ele está associado à competitividade das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no contexto da pandemia do corona vírus. Para alcançar esse objetivo, uma análise dos conceitos e tipologias indicados em obras atuais e clássicas foi realizada, por meio da bibliometria e análise semântica, com o intuito de posicionar teoricamente a pesquisa quanto a definição e ao tipo de inovação mais adequado ao propósito do trabalho. Chega-se ao entendimento, considerando o ambiente das MPEs, que a inovação apresenta um caráter incremental, pequenas melhorias no processo ou no negócio são efetuadas, além disso, há a adoção e exploração de uma novidade, evidenciando a adoção como parte intrínseca do processo de inovação, inclusive. A teoria utilizada como base para a pesquisa, Teoria da Difusão da inovação, parte de uma abordagem organizacional, foco deste estudo. Para Rogers (1983; 2003), ao posicionar-se sobre a decisão em adotar ou não uma inovação, a organização é influenciada basicamente por três dimensões: liderança; características internas da estrutura organizacional; e, ambiente externo. No contexto das micro e pequenas empresas (MPEs), a apropriação da teoria de Rogers (1983; 2003), no que se refere à relação entre inovação e competividade das MPEs, torna eficiente a análise realizada por este estudo na medida em que confirma as hipóteses aventadas desde o projeto, sobretudo no que diz respeito ao fato de que essa relação é, além de factível, positiva. O corpus de análise abarca empresas de Aracaju/Se com o fito de confirmar a relação positiva entre inovação e competitividade nesse contexto. Para tanto, como método de pesquisa, propõe-se um estudo descritivo e exploratório de natureza quantitativa. Para análise dos dados, será utilizada a Modelagem por Equações Estruturais baseada em Mínimos Quadrados Parciais-PLS. Com isso, espera-se oferecer um estudo profícuo na área considerando a pandemia como um fator definidor e estimulante de práticas de gestão.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1305647 - ROSANGELA SARMENTO SILVA
Interno - 1049184 - GLESSIA SILVA DE LIMA
Externo à Instituição - ISABEL CRISTINA DOS SANTOS

Notícia cadastrada em: 20/08/2021 20:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r16381-d9174a643d