A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: OBDERAN BISPO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: OBDERAN BISPO DOS SANTOS
DATA: 20/02/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Sala 47 - CCSA 2 (PROPADM)
TÍTULO: COOPETIÇÃO EM AGLOMERAÇÕES COMERCIAIS LOJISTAS: ANÁLISE CONFIRMATÓRIA NO MUNICÍPIO DE LAGARTO – SERGIPE.
PALAVRAS-CHAVES: Aglomerações comerciais. Competição. Cooperação.
PÁGINAS: 84
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
SUBÁREA: Administração de Setores Específicos
RESUMO:

A cooperação entre empresas é uma estratégia tão irreversível quanto à globalização. Neste sentido, entende-se que as relações entre as organizações que cooperam, ao mesmo tempo que competem, proporcionam vantagens capazes de influenciar positivamente seus resultados, promovendo assim, um ganho competitivo em cadeia. É neste cenário que, a pesquisa aborda o intrigante e atual fenômeno da coopetição em aglomerações comerciais. Confere ponderar que, coopetição é entendida por comportamentos de cooperação competitiva entre empresas, ou seja, concorrentes que cooperam para gerar valor coletivo, ao tempo que, competem por benefícios individuais. Deste modo, esta pesquisa tem por objetivo principal, analisar a influência da cooperação, competição na coopetição entre os comerciantes associados à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Lagarto/SE, proporcionando a compreensão, de forma geral, do fenômeno da coopetição em um aglomerado comercial. A pesquisa tem caráter exploratório e descritivo com natureza quantitativa, cuja coleta de dados, deu-se por meio da aplicação de um questionário estruturado, no qual, foram incluídas as variáveis que formam o modelo de análise da coopetição desenvolvido por Silva (2016). Os resultados apresentaram uma distribuição anormal com aplicação de técnicas de análises estatísticas não-paramétricas para os dados coletados. Neste sentido, resultados encontrados, apesar de menos generalistas, proporcionaram o aprofundamento do estudo do fenômeno da coopetição obtendo, por conclusão, que não foi possível confirmar, estatisticamente, as hipóteses desta pesquisa, de que, quanto maior a competição, menor é coopetição e, quanto maior a cooperação, maior também é a coopetição.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1791750 - FLORENCE CAVALCANTI HEBER PEDREIRA DE FREITAS
Externo ao Programa - 1685892 - LUIZ CARLOS DE SANTANA RIBEIRO
Presidente - 1662887 - MARIA ELENA LEON OLAVE

Notícia cadastrada em: 29/01/2019 17:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r17715-9ce6d7c69e