Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FERNANDA MARTINS DA SILVA LEÃO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDA MARTINS DA SILVA LEÃO
DATA: 24/08/2020
HORA: 10:00
LOCAL: remoto
TÍTULO: ESTUDOS GEOARQUEOLÓGICOS DE SÍTIOS DE REGISTROS RUPESTRES NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GRANDE, EM BARREIRAS E EM SÃO DESIDÉRIO, BAHIA, BRASIL.
PALAVRAS-CHAVES: Registros Rupestres, Geoarqueologia, Barreiras-BA, São Desidério-BA
PÁGINAS: 59
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Arqueologia
SUBÁREA: Arqueologia Pré-Histórica
RESUMO:

Na área de abrangência da Bacia Hidrográfica do Rio Grande, sub-bacia pertencente à Bacia do Rio São Francisco, onde este estudo é direcionado, ocorrem inúmeros sítios arqueológicos reconhecidos como anteriores à colonização no Extremo Oeste da Bahia, relacionados tanto a grupos caçadores-coletores como a grupos agricultores. Destes sítios, sete contém afloramentos rochosos, como paredões, abrigos e grutas, propícios para a produção de registros rupestres. No entanto, somente em cinco sítios estes registros são encontrados, sendo os objetos principais desta pesquisa: sítios Morro dos Tapuias, Derocal, Seu Camé, Gruta das Pedras Brilhantes e Serra do Mimo. Os demais sítios serão estudados com o intuito de compreender e comparar os aspectos geoambientais e o contexto arqueológico do entorno, são eles: sítios Paulista e Gruta da Beleza. Os sítios situados em São Desidério implantam-se sobre relevo cárstico, nas planícies e vales dos rios presentes na região, ocorrendo em cavernas, abrigos e paredões carbonáticos da Formação São Desidério, Grupo Bambuí, enquanto que os sítios de Barreiras implantam-se sobre relevo ruiniforme, no topo de chapadas de arenitos do Grupo Urucuia, ocorrendo em abrigos e grutas formados por morros testemunhos e matacões abatidos resultantes da erosão diferencial destes arenitos. Contudo, o objetivo desta dissertação é estudar os sítios arqueológicos que contêm registros rupestres e os demais sítios propícios para tais registros através de métodos não interventivos relativos à Geoarqueologia, com o intuito de diferenciar as ocupações no contexto ambiental nos quais estes sítios foram implantados. Deste modo, busca-se entender o motivo da escolha, pelos grupos pré-coloniais, dos locais que foram ocupados e, ou, utilizados para elaborar os registros rupestres, ao se levantar os seguintes questionamentos: Por que locais com afloramentos rochosos disponíveis e com similaridades geológica e geomorfológica foram ocupados e outros não? Por que somente alguns sítios com estas características têm registros rupestres? Estudar sítios rupestres em uma perspectiva arqueológica requer uma pesquisa e trabalho de campo minucioso que, entretanto, não privilegie uma metodologia meramente descritiva dos registros rupestres, mas que busque compreender todo o cenário, contexto e dinâmica social dos seus autores. Portanto, pretende-se identificar padrões técnicos, temáticos, cenográficos e de apresentação gráfica nos sítios rupestres objetos deste estudo, integrando-os ao contexto geoambiental e cultural da região de pesquisa e, sempre que possível, ao cenário dos registros rupestres do Nordeste e do Brasil Central.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1680228 - PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
Interno - 2583203 - ALBERICO NOGUEIRA DE QUEIROZ
Externo à Instituição - CARLOS ALBERTO SANTOS COSTA
Notícia cadastrada em: 18/08/2020 16:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r12712-85cc87cea5