A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCELY MONTEIRO FARIA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELY MONTEIRO FARIA
DATA: 30/09/2022
HORA: 13:30
LOCAL: Presencial
TÍTULO: Estrangeirismos e ideologias linguísticas: um estudo societal
PALAVRAS-CHAVES: Ideologias linguísticas. Estrangeirismos. Tratamento societal.
PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Sociolingüística e Dialetologia
RESUMO:

Estrangeirismo é o uso de palavras de outras línguas em uma determinada comunidade linguística, a exemplo das palavras fake news ou lockdown, oriundas do inglês, mas também usadas pelos falantes brasileiros do português. Apesar de se tratar de um processo de renovação lexical, a entrada de estrangeirismos em uma língua costuma suscitar forte julgamento social por parte dos falantes, desencadeando atitudes tanto positivas quanto negativas. Para analisar essa dicotômica relação dos falantes com os estrangeirismos e identificar quais são as crenças e atitudes dos falantes brasileiros em relação aos estrangeirismos, o presente estudo se concentra em três objetivos: primeiro, examina estudos que investigaram as condições sócio-históricas, política e ideológicas em que os estrangeirismos são introduzidos no português brasileiro.Segundo, apresenta um estudo do tratamento societal dos estrangeirismos para captar as ideologias linguísticas subjacentes aos estrangeirismos que circulam em produções multimodais nas redes sociais; e terceiro, investiga a avaliação dos falantes em relação aos estrangeirismos em um contexto específico, a exposição à diversidade linguística, com a finalidade de desvelar a relação entre a avaliação (positiva ou negativa) de nomes estrangeiros e a exposição a outras línguas. Para cada objetivo, seguindo a perspectiva de investigação de atitudes linguísticas por meio de evidências societais e diretas, um procedimento metodológico específico foi desenvolvido. Como primeiro movimento, foi realizado um levantamento bibliográfico de trabalhos científicos que exploraram a temática dos estrangeirismos nos últimos anos a fim de construir um panorama da realidade linguística, política, social e ideológica a qual o fenômeno está situado. Como resultado, foi possível concluir que, por um lado, o histórico de políticas linguística homogeneizantes que marcou a história do Brasil pode ter contribuído para afetar a aceitação dos estrangeirismos pelos falantes, enquanto que por outro lado, há aquele público que reconhecendo o apelo político e cultural que o inglês possui, atribui ao uso dos estrangeirismos um certo grau de prestígio. O segundo movimento consistiu na investigação das ideologias linguísticas subjacentes aos estrangeirimos no Brasil por meio de um estudo de tratamento societal tendo como corpus produções multimodais (memes, cartoons e tirinhas) coletadas em redes sociais. Foram identificadas seis ideologias linguísticas subjacentes aos estrangeirismos: estrangeirismos em excesso; estrangeirismos como vício de linguagem; estrangeirismos vistos como colonização ou dominação ideológica; estrangeirismos dificultam a compreensão; estrangeirismos como escolha estilística e por fim estrangeirismos através do viés da naturalização. O terceiro movimento consiste em uma proposta de um estudo de abordagem direta de atitudes linguísticas, a fim de investigar atitudes linguísticas dos falantes em relação a nomes de estabelecimentos comerciais e sua relação com a exposição à diversidade linguística. Para isso foi elaborado um teste de julgamento em que foram pareados nomes de estabelecimentos em língua estrangeira e questões sobre apreciação estética e de confiança. Em conjunto, os resultados revelam pistas sobre o julgamento dos falantes sinalizando para o prestígio social associado aos estrangeirismos, em especial da língua inglesa, no Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1505794 - RAQUEL MEISTER KO FREITAG
Interno - 2026538 - ISABEL CRISTINA MICHELAN DE AZEVEDO
Externo à Instituição - GILVAN DA COSTA SANTANA

Notícia cadastrada em: 21/09/2022 09:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e