Notícias

Banca de DEFESA: NANCY BORGES RODRIGUES VASCONCELOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NANCY BORGES RODRIGUES VASCONCELOS
DATA: 31/07/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Mini Auditório CCBS
TÍTULO: Ação do extrato etanólico de Croton blanchetianus Baill sobre a proliferação celular e o potencial de membrana mitocondrial de promastigotas de L. amazonensis.
PALAVRAS-CHAVES: produtos naturais, viabilidade celular, potencial de membrana mitocondrial, citometria de fluxo
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Protozoologia de Parasitos
ESPECIALIDADE: Protozoologia Parasitária Humana
RESUMO:

As Leishmanioses compreendem um conjunto de doenças causadas por parasitas protozoários do gênero Leishmania. Não há vacinas disponíveis para as leishmanioses e os fármacos existentes são caros e apresentam alta toxicidade. Na crescente busca por fármacos mais eficazes, as plantas surgem como fontes promissoras de novos agentes terapêuticos. Estudos prévios de nosso grupo de pesquisa demonstraram que o extrato de Croton blanchetianus (Marmeleiro), induz a diminuição da proliferação de promastigotas e amastigotas de Leishmania amazonensis. O objetivo deste trabalho foi avaliar os possíveis mecanismos de ação do extrato etanólico de C. blanchetianus sobre a proliferação de promastigotas de L. amazonensis. O crescimento dos promastigotas foi monitorado pela contagem diária dos parasitas crescendo em meio Schneider na presença de 70µg/mL (IC50) e 140µg/mL (2xIC50) do extrato etanólico de C. blanchetianus durante 120 horas. Pela curva de crescimento foi observada uma redução na taxa de proliferação dos promastigotas tratados com 70 e 140µg/mL do extrato em relação ao controle não tratado. A avaliação do efeito do extrato sobre a permeabilidade da membrana e sobre a progressão do ciclo celular foi realizada com utilização do intercalante de DNA Iodeto de Propídeo (PI) a redução na taxa de crescimento não foi devido à morte dos parasitas, dada à integridade da membra plasmática dos parasitas tratados, evidenciada pela falta de marcação com PI. O tempo de duplicação (doubling time) dos promastigotas foi monitorado pela contagem diária dos parasitas crescendo em meio Schneider na presença de 70µg/mL (IC50) e 140µg/mL (2xIC50) do extrato etanólico de C. blanchetianus durante 48 horas, calculado por regressão exponencial utilizando a plataforma on-line disponível em: http://www.doubling-time.com/compute.php. O retardo no crescimento foi devido ao maior tempo de duplicação apresentado pelos parasitas tratados: 10,24 e 10,57 horas, em comparação ao tempo de duplicação do controle (6,85 horas). O efeito do extrato não incide sobre o ciclo celular visto que a proporção de células em G1, S e G2/M não foi alterada com o tratamento. Por outro lado, o tratamento com 70 e 140µg/mL do extrato ocasionou alteração no potencial da membrana mitocondrial o que foi evidenciado pela menor retenção de Rodhamina123 e JC-1 pelas mitocôndrias dos promastigotas expostos ao extrato. Apesar de afetar o metabolismo mitocondrial, o extrato parece não provocar estresse oxidativo nas células, visto que não foi observada elevação na produção de espécies reativas de oxigênio (ROS). Os resultados permitem concluir que o efeito do extrato de C. blanchetianus sobre a proliferação dos parasitas pode ser devido, pelo menos em parte, a alteração do metabolismo energético do parasita de modo a ocasionar um retardo no tempo de duplicação celular, sem, contudo alterar a integridade da membrana do parasita e a progressão do ciclo celular


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2213089 - RICARDO SCHER
Interno - 2070197 - CRISTIANE BANI CORREA
Externo à Instituição - LEANDRO EUGENIO CARDAMONE DINIZ
Notícia cadastrada em: 23/07/2015 12:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2019 - UFRN - canario.ufs.br.canario1 v3.5.16 -r5620-789a6712b