A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: COSME JOSÉ DE OLIVEIRA JÚNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: COSME JOSÉ DE OLIVEIRA JÚNIOR
DATA: 29/07/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Sala virtual do Google Meet
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO ÓLEO DE SEMENTE DE MANGABA COMO REDUTOR DE PONTO DE FLUIDEZ DE PETRÓLEO PARAFÍNICO
PALAVRAS-CHAVES: Petróleo ceroso, parafina, óleo de mangaba, WAT, ponto de fluidez, PPD
PÁGINAS: 28
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Tecnologia Química
ESPECIALIDADE: Petróleo e Petroquímica
RESUMO:

Um dos maiores problemas que comprometem o setor petrolífero é a obstrução de oleodutos mediante deposição de parafina. Umas das técnicas mais utilizadas para prevenir esse problema é a adição de aditivos químicos que venham a reduzir o ponto de fluidez e melhorar o fluxo de petróleos com características parafínicas. Esse trabalho foi desenvolvido com intuito de estudar o potencial do óleo de mangaba (Hancornia Speciosa Gomes) como redutor de ponto de fluidez (PPD) e melhorador de fluxo de petróleo parafínico. Em vista disso, esse produto natural extraído da semente e a amostra de petróleo foram caracterizados e a influência do óleo de mangaba foi estudada nos parâmetros de ponto de fluidez, temperatura de aparecimento de cristais (WAT) e propriedades reológicas. A título de comparação, foram realizados, também, ensaios com um aditivo comercial. A caracterização do óleo de mangaba revelou o perfil de ácidos graxos, sendo o ácido oleico em maior presença (61,70 %). Para a viscosidade cinemática, massa especifica e o teor de cinzas, os respectivos resultados foram: 35,33 mm²/s; 0,902 g/mL e 1,938 %. A análise da amostra de petróleo parafínico revelou que o mesmo era de natureza leve (API = 36,85 º) e seu ponto de fluidez foi registrado à 33 ºC. O óleo de mangaba foi capaz de reduzir o ponto de fluidez do petróleo parafínico em 5ºC na concentração de 3000 ppm e alterar positivamente as propriedades reológicas da amostra de petróleo parafínico, visto que a viscosidade, observada na taxa de cisalhamento 120 , reduziu de 750,83 para 175,20 . Os estudos da WAT via calorimetria diferencial (DSC) não apresentaram mudança significativas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1452214 - MANOEL MARCELO DO PRADO
Interno - 1307447 - PAULO HENRIQUE LEITE QUINTELA
Externo ao Programa - 1708289 - LUANDA GIMENO MARQUES

Notícia cadastrada em: 29/07/2022 10:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5