A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: LARISSA ALVES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LARISSA ALVES DA SILVA
DATA: 30/12/2021
HORA: 09:00
LOCAL: meet.google.com/fxq-mnwv-vwh
TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE FLUIDO DE ALTA PERFORMANCE E BAIXO GRAU DE CORROSÃO A BASE DE ESTERES DE ÓLEO VEGETAL DE BABAÇU PARA PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO
PALAVRAS-CHAVES: Fluidos de perfuração, Petróleo, Biodiesel, Babaçu, Estabilidade oxidativa, Reologia, Tixotropia, Corrosão e Eletroquímica.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Tecnologia Química
ESPECIALIDADE: Petróleo e Petroquímica
RESUMO:

Os fluidos de perfuração são usados na atividade de exploração e produção de petróleo, visando garantir a melhor produtividade bem como a segurança do poço. Eles podem ser considerados como sistemas multifásicos, contendo água, compostos orgânicos, sais dissolvidos, sólidos em suspensão e aditivos nas mais diversas proporções, devendo apresentar inúmeras características para que o projeto do poço seja realizado de forma a garantir uma perfuração rápida e segura. O presente estudo tem por objetivo desenvolver formulações de fluidos de perfuração a base de óleo vegetal de babaçu esterificado com alta lubrificidade e baixo grau de corrosão e que apresentem desempenho igual ou superior aos fluidos de alta performance. A caracterização reológica foi realizada através de ensaios de reologia, utilizando sistema de cilindros coaxiais, para obtenção das curvas de fluxo para determinar parâmetros como o limite de escoamento (LE), o índice de consistência (k), o índice de comportamento (n) e o grau de tixotropia (área de histerese) em função das temperaturas 30°, 60° e 90°C. Foi realizada uma caracterização da estabilidade oxidativa pelo método Rancimat e um estudo da corrosão do aço carbono 1020 formulações produzidas. Os resultados obtidos mostraram que os fluidos apresentaram comportamento pseudoplástico, seguindo o modelo de Herschell-Bulkley. Observou-se um melhoramento da viscosidade aparente para razão óleo/água 65/35 com 10 lb/bbl e para as razões O/A 60/40 e 70/30 com 12 lb/bbl emulsificante. As formulações com concentração de salinidade igual a 95.000ppm apresentaram aumento do o índice de consistência (K), limite de escoamento (LE) e viscosidade aparente (VA) a temperatura de 90°C. O estudo da estabilidade oxidativa do biodiesel de babaçu apresentou bons resultado para os fluidos produzidos, tendo início da oxidação entre 40 e 60 horas e formulações com 120 horas. O estudo da corrosão apresentou taxas de corrosão por mm/ano inferiores aos encontrados na literatura. Desta forma o éster de babaçu se mostrou apto para ser utilizado em formulações de fluidos de perfuração.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Externo à Instituição - CARLOS ANTONIO CABRAL DOS SANTOS

Notícia cadastrada em: 29/12/2021 13:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5