A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ÉRICLES VALE NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ÉRICLES VALE NASCIMENTO
DATA: 25/02/2021
HORA: 09:30
LOCAL: Via Google Meet
TÍTULO: Adsorção de corantes em óxidos mistos: estudos cinéticos, de equilíbrio e de reúso do adsorvente
PALAVRAS-CHAVES: Adsorção; método proteico modificado; reutilização.
PÁGINAS: 208
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Tecnologia Química
RESUMO:

A presença de corantes nos efluentes é um problema sério e que deve ser resolvido. Dentre todas as soluções existentes, a operação unitária de adsorção é uma das mais interessantes, pois emprega pequenas quantidades de um sólido que tem a capacidade de remover grandes quantidades do poluente. Pensando nisso, este trabalho realizou a síntese e caracterização dos óxidos mistos com estrutura perovskita do tipo LaxCa1-xMnO3 (x = 0; 0,5 e 1,0) através do método proteico modificado, empregando o colágeno como agente complexante da estrutura e calcinação a 700°C/2h, sob taxa de aquecimento de 10°C/min, visando a remoção do corante comercial Bezaktiv Blue presente em meio aquoso, com posterior regeneração e reutilização dos adsorventes por mais cinco vezes. O DRX indicou a obtenção da fase perovskita para os materiais com x = 0,5 e 1,0, com alta cristalinidade e baixo ou nenhum teor de fases secundárias. Para o CaMnO3, obteve-se uma mistura amorfa de óxidos de cálcio, manganês e precursores, com a formação da fase perovskita apenas iniciada. Os óxidos obtidos com sucesso apresentaram PCZ em torno da neutralidade. O ensaio de FTIR mostrou que o processo de adsorção não é destrutivo aos adsorventes. Os testes de adsorção foram realizados em modo batelada, triplicata, em único estágio, com pH da solução corrigido para 3,0, onde foram empregados 20 mg de adsorvente em contato com 20 ml de solução do corante nas concentrações iniciais de 10, 30 e 50 ppm, em tempos de contato de 0 a 90 minutos, intercalados em 10 minutos. Os dados experimentais melhor se adequaram ao modelo cinético de pseudo-segunda ordem para todos os adsorventes e em praticamente todas as concentrações iniciais de corante. Para o LaMnO3, o modelo de Langmuir melhor representou o equilíbrio de adsorção enquanto que para os outros dois adsorventes foi o modelo de Freundlich. O estudo de reutilização mostrou que o LaMnO3 manteve a sua capacidade adsortiva, o La0,5Ca0,5MnO3 se transformou em um catalisador e o CaMnO3 teve a formação de sua estrutura consolidada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1515782 - MARCELO JOSE BARROS DE SOUZA
Interno - 1307447 - PAULO HENRIQUE LEITE QUINTELA
Externo ao Programa - 2555266 - ANNE MICHELLE GARRIDO PEDROSA DE SOUZA
Externo ao Programa - 3274466 - HELENICE LEITE GARCIA

Notícia cadastrada em: 04/02/2021 11:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e