A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANA SILVA VARANDAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA SILVA VARANDAS
DATA: 15/02/2020
HORA: 09:30
LOCAL: Sala de defesas do PEQ
TÍTULO: ESTIMAÇÃO DE PARÂMETROS CINÉTICOS DE MEMBRANA SEMI-IPN DGEBA/TETA/PEI APLICANDO ALGORITMO HEURÍSTICO
PALAVRAS-CHAVES: epóxi, semi-IPN, termoplástico, cura, cinética
PÁGINAS: 23
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
RESUMO:

A resina epóxi é uma das resinas termorrígidas mais utilizadas, pois possui características especiais, como excelente aderência a muitos substratos e resistência à corrosão química. Para superar algumas das suas limitações, ela pode ser associada, na forma de matriz reticulada, com um polímero termoplástico formando uma rede polimérica semi-interpenetrante (semi-IPN). A formação da matriz se dá através da reação de cura com um agente endurecedor e o conhecimento dos seus parâmetros permite obter os produtos nas especificações desejadas, objetivando reduzir os custos de produção. Desta forma, o presente trabalho teve por objetivo estimar parâmetros cinéticos a partir de quatro modelos mecanicistas propostos para a reação da resina polimérica, Diglicídil Éter de Bisfenol A (DGEBA) com o agente endurecedor Trietilenotetramina (TETA), na presença do polímero termoplástico Polieterimida (PEI) formando uma membrana semi-IPN. Os modelos foram incorporados a um sistema de equações algébrico-diferenciais oriundo dos balanços de massa e energia, resolvido numericamente pela aplicação do código DASSL. A abordagem desse estudo é diferenciada por utilizar somente os dados do fluxo de calor fornecidos pelo DSC para estimar os parâmetros da cinética da cura, a partir dos modelos propostos e dos balanços de massa e energia, proporcionando, assim, uma maior precisão nos cálculos. A partir da estimação dos parâmetros com os ensaios não-isotérmicos em proporção estequiométrica, o Modelo 03, empírico de Kamal, foi o que se adequou melhor à mistura reacional. Além dele, o Modelo 01, semi-empírico de Horie, consagrado pela literatura e geralmente preferível devido a sua simplicidade, mostrou um bom ajuste. A ordem de reação obtida foi de 2,69, confirmando o caráter autocatalítico da reação de cura.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1715065 - ROGERIO LUZ PAGANO
Interno - 6426189 - ANTONIO SANTOS SILVA
Interno - 2222671 - PEDRO LEITE DE SANTANA
Externo ao Programa - 1996864 - JOSE DA PAIXAO LOPES DOS SANTOS

Notícia cadastrada em: 10/02/2020 16:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5