A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ANA CRISTINA LIMA PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CRISTINA LIMA PEREIRA
DATA: 31/07/2018
HORA: 09:00
LOCAL: PEQ
TÍTULO: SELEÇÃO E ESTUDO DA PRODUÇÃO DE ANTIOXIDANTES POR MICROALGAS
PALAVRAS-CHAVES: antioxidantes; Chlorella vulgaris; microalga
PÁGINAS: 15
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Processos Industriais de Engenharia Química
ESPECIALIDADE: Processos Bioquímicos
RESUMO:

As microalgas têm demostrado ser uma solução para a obtenção de compostos antioxidantes. Os antioxidantes são compostos que retardam a ação dos radicais livres presentes no organismo. Dentre os compostos de interesse, os carotenoides são os mais promissores neste combate e possui um alto valor comercial. O presente trabalho teve como objetivo a seleção de microalgas com capacidade de produção de antioxidantes, extração e quantificação dos mesmos. As cepas isoladas foram selecionadas a partir dos meios para a produção de compostos antioxidantes, onde a cepa da Chlorella vulgaris obteve o melhor resultado em relação à obtenção desses compostos. O cultivo da cepa de microalga Chlorella vulgaris foi realizado em meios de produção com diferentes composições. Após o cultivo da cepa foi realizado um Planejamento Experimental para determinar as melhores condições de produção para a C. vulgaris. A análise dos compostos extraídos foi realizada por espectrofotometria UV. Para a extração das amostras foi utilizada como solventes a água e o DMSO e isto ocorreu em conjunto com a quantificação das mesmas de acordo com método do DPPH. Os resultados obtidos foram que a microalga C. vulgaris foi a que apresentou um melhor potencial para a produção de carotenoides. Os valores de Massa de Carotenoides (MC) encontrados compreenderam de 3,5 a 120,92 µg. Já os valores de Fração de Carotenoides (FC) existentes variaram de 0,58 a 37,17 µg. g-1 na biomassa de C. vulgaris obtida. Em relação ao maior valor MC de 120,92 µg encontrado no caso no ensaio 2 ocorreu para os valores mínimos das variáveis X2 e X3 e o valor máximo para variável X1. O segundo maior valor de MC encontrado foi no ensaio 4 quando as variáveis X1 e X2 tiveram os valores máximos e a variável X3 teve o valor mínimo do Planejamento Experimental. O maior valor de FC encontrado foi no ensaio 3 de 37,17 µg.g-1 quando X1 e X3 foram valores mínimos e a variável X2 foi o valor máximo do Planejamento. A quantificação da biomassa foi realizada em relação ao IPH2O e o IPDMSO que variam de 15,69 a 60,22% e 13,75 a 24,96%, respectivamente. O maior valor encontrado para o IPDMSO foi ao ensaio 3 de 24,96% em um dos pontos centrais do Planejamento. Com relação ao IPH2O nos ensaios 1 onde as variáveis X1 e X2 tinham menores valores reais do Planejamento os valores obtidos do IPH2O foi encontrado o maior valor no caso 60,22%. Conclui-se que o valor encontrado na quantificação de atividade antioxidante do Índice de inibição da água foi o mais eficiente do que com o solvente DMSO.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2581604 - CRISTINA FERRAZ SILVA
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Externo ao Programa - 839.160.085-87 - DIEGO DE FREITAS COELHO
Externo ao Programa - 2632257 - JACQUELINE REGO DA SILVA RODRIGUES

Notícia cadastrada em: 26/07/2018 17:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5