A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: DEGIVAL RODRIGUES GONÇALVES JÚNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DEGIVAL RODRIGUES GONÇALVES JÚNIOR
DATA: 30/04/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Laboratorio de Química Industrial - LQI
TÍTULO: Síntese de carvão ativado magnético (Cocos nucifera L. e ferrita de cobalto) para remoção de fenol de soluções aquosas
PALAVRAS-CHAVES: Endocarpo de coco, ferrita de cobalto, carvão ativado magnético, remoção de fenol
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Processos Industriais de Engenharia Química
ESPECIALIDADE: Processos Orgânicos
RESUMO:

Neste trabalho foi proposta alternativa de utilização do resíduo agroindustrial endocarpo do coco (Cocos nucifera L.) como matéria-prima na síntese de adsorvente magnético visando a remoção de fenol de soluções aquosas. O adsorvente sintetizado, denominado carvão ativado magnético (MAC), foi preparado por meio da coprecipitação da ferrita de cobalto (CoFe2O4) na superfície do carvão ativado (AC) obtido a partir do endocarpo do coco. A caracterização do MAC foi realizada através das análises do ponto de carga zero (PCZ), área superficial BET (Brunauer, Emmett e Teller), microscopia eletrônica de varredura (MEV), fluorescência de raios X (FRX), espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), difração de raios X (DRX) e curvas de magnetização. O método de regeneração do adsorvente foi proposto para avaliar a reutilização do MAC em ciclos sucessivos de adsorção/dessorção. Os resultados mostraram que os compostos magnéticos apresentam estrutura cristalina cúbica recoberta na superfície do carvão ativado. O MAC apresenta estrutura microporosa, com grupos funcionais que podem atuar como sítios de adsorção. Os estudos cinéticos indicaram que a adsorção é seguida pelo modelo cinético de pseudossegunda ordem e o equilíbrio de adsorção é controlado pela isoterma de Langmuir, com máxima capacidade de adsorção de 116,4 mg g-1. Os experimentos de dessorção revelaram que o MAC pode ser reutilizado viavelmente por pelo menos três ciclos de adsorção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2462308 - EDILSON DE JESUS SANTOS
Interno - 426443 - GISELIA CARDOSO
Externo ao Programa - 1307447 - PAULO HENRIQUE LEITE QUINTELA
Externo ao Programa - 6426189 - ANTONIO SANTOS SILVA

Notícia cadastrada em: 20/04/2018 11:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5