A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: SHARLENE SILVA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SHARLENE SILVA COSTA
DATA: 30/06/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Mini-auditório do CCET
TÍTULO: BIOUTILIZAÇÃO DO RESÍDUO AGROINDUSTRIAL (CRUEIRA) PARA A PRODUÇÃO DE ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO
PALAVRAS-CHAVES: crueira, bioconversão, etanol
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Processos Industriais de Engenharia Química
ESPECIALIDADE: Processos Bioquímicos
RESUMO:

Em processos biotecnológicos, o uso de resíduos agroindustriais está ganhando destaque para produção de biocombustíveis renováveis através do emprego de tecnologias modernas, econômicas e sustentáveis. Os resíduos agroindustriais ricos em amido vêm sendo estudados por apresentar um grande potencial para produção de bioetanol. Dentre os principais resíduos amiláceos está a crueira, a qual constitui um sólido produzido em abundância após a etapa de moagem e esfarelamento da mandioca processada para a obtenção de farinha. Para a bioconversão do amido contido na crueira é necessário um processo de sacarificação, o qual foi realizado no presente estudo utilizando um extrato enzimático produzido por Bacillus sp. Os açúcares fermentescíveis produzidos na hidrólise foram convertidos posteriormente pela levedura Saccharomyces cereviae, gerando bioetanol como produto final do processo. Com isso, o objetivo do presente trabalho foi estudar a bioutilização do resíduo agroindustrial (crueira) para produção de etanol de segunda geração. O resíduo foi caracterizado através de análises físico-químicas e o estudo do processo de hidrólise enzimática foi realizado através de Planejamento Experimental Fatorial Completo 22. Após, o hidrolisado foi utilizado para o processo de fermentação alcoólica. Os resultados das análises físico-químicas demonstraram que a crueira possui alto teor de amido (%) (82,00 ± 0,58). Através do Planejamento Experimental foi evidenciado que a variável concentração de crueira (g/L) foi estatisticamente significativa, sendo a melhor faixa de sacarificação obtida de 100 a 108 g/L de crueira e 70 mL de extrato enzimático atingindo 10 ºBrix. Os ensaios cinéticos demonstraram que 20 h é o tempo necessário para concluir o processo de hidrólise. Os ensaios de fermentação alcoólica demonstraram um teor de etanol de 0,4 %.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2581604 - CRISTINA FERRAZ SILVA
Interno - 1542165 - JOSE JAILTON MARQUES
Externo à Instituição - ANSELMO DE SOUZA PINHEIRO

Notícia cadastrada em: 09/06/2016 20:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5