A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: SAMIA TÁSSIA ANDRADE MACIEL

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SAMIA TÁSSIA ANDRADE MACIEL
DATA: 22/06/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Auditorio do CCET
TÍTULO: Produção e Caracterização de Bio-óleo proveniente da torta da Moringa oleífera Lam
PALAVRAS-CHAVES: biomassa; pirólise; bio-óleo
PÁGINAS: 92
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Tecnologia Química
ESPECIALIDADE: Óleos
RESUMO:

Os combustíveis fósseis, particularmente combustíveis de petróleo foram e ainda são as principais fontes de combustível para alimentar, entre outros, veículos de transporte, máquinas agrícolas e de geração de energia. Biomassa tornou-se uma fonte interessante para obtenção de energia, permitindo uma menor dependência de combustíveis fósseis, com os consequentes benefícios do ponto de vista ecológico e econômico. Vários processos permitem a transformação da biomassa em produtos que podem ser usados como combustíveis. A degradação térmica de materiais lignocelulósicos é uma das vias mais promissoras para a obtenção de fontes de energia e produtos químicos a partir de biomassa. A pirólise é um método de conversão termoquímica incluído dentro deste grupo. Neste processo, a matéria orgânica é convertida por aquecimento sob uma atmosfera inerte em gases não-condensáveis, gases condensáveis (que são então recuperados como o produto líquido) e um produto sólido (carvão). Neste trabalho, as sementes e as tortas química e mecânica da Moringa oleifera Lam., conhecida por seus valores medicinais e nutricionais, foram investigadas como uma fonte potencial de biocombustível. Caracterizações termoquímicas das biomassas foram realizadas através das análises de teor de umidade, cinzas, voláteis, óleo e análise estrutural. Os valores de poder calorífico das biomassas variaram entre 17 e 21 MJ / Kg. Os resultados iniciais mostraram que a biomassa da M. oleífera pode potencialmente produzir energia através de processos de conversão termoquímica. Da análise termogravimétrica das biomassas, foi observado que a faixa de temperatura ideal para uma melhor conversão da biomassa em bio-óleo por pirólise num reator de leito fixo é de 600 ºC. A partir da análise via CG/EM do bio-óleo foi possível identificar e quantificar as classes químicas do bio-óleo da semente, onde consiste de um alto teor de ácidos carboxílicos com, aproximadamente, 70 %.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Interno - 1542165 - JOSE JAILTON MARQUES
Externo ao Programa - 2022042 - DANIEL PEREIRA DA SILVA

Notícia cadastrada em: 10/06/2015 08:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5