A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VIVIANE LIMA DE OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VIVIANE LIMA DE OLIVEIRA SANTOS
DATA: 24/01/2014
HORA: 09:30
LOCAL: MINI AUDITÓRIO DO CCET
TÍTULO: REMOÇÃO DE Cr(VI) DE SOLUÇÕES AQUOSAS UTILIZANDO BENTONITA CÁLCICA E PÓ DE QUIABO (Abelmoschus esculentus) POR PROCESSO DE COAGULAÇÃO-FLOCULAÇÃO
PALAVRAS-CHAVES: Cromo hexavalente; Pó de quiabo; Coagulação-floculação
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Tecnologia Química
ESPECIALIDADE: Tratamentos e Aproveitamento de Rejeitos
RESUMO:

Os efluentes industriais contendo metais pesados são atualmente uns dos mais sérios problemas na área ambiental podendo ocasionar danos à saúde humana e ao meio ambiente. O cromo, apesar de ser considerado um elemento de importância ambiental e geológica, quando encontrado em seu estado de oxidação (+6) é tóxico para organismos humanos e para o ecossistema, além de ser um agente carcinogênico. Assim, se faz necessário a adoção de tratamentos que possibilitem a redução de emissão deste metal. Este estudo objetivou avaliar a eficiência do uso de pó de quiabo e da bentonita cá lcica como alternativa para remoção de cromo hexavalente de efluentes industriais através da técnica de tratamento por processo de coagulação-floculação. Foram realizados testes em sistema de batelada contendo cromo (VI), sendo as concentrações determinada s através de um espectrofotômetro UV-VIS por complexação com difenilcarbazida. Foi estudada a influência do tempo de mistura lenta, pH da solução, concentração utilizada da bentonita e do pó de quiabo.O pó de quiabo, a bentonita cálcica e o lodo pós-sedimentação foram caracterizados por Fluorescência de Raios-X (FRX), Espectroscopia de Absorção na Regiã o do Infravermelho (FT -IR). A análise de Fluorescência de Raios-X (FRX) evidenciou a ausência de cromo na composição do pó do quiabo e da bentonita cálcica antes da biossorção e o aparecimento de cromo depois da biossorção, o que comprova o fenômeno da adsorção na superfície do biossorvente. A maior capacidade de remoção de Cr(VI) foi observada para as condições: tempo de mistura lenta de 30 minutos, pH da solução igual a 2, concentração utilizada de pó de quiabo de 0,6 g.L-1e concentração utilizada da bentonita de 0,6 g.L-1. Os teste de remoção aplicados sob estas condições apresentaram resultados satisfatórios, tendo uma remoção média de 89,58%, a uma concentração inicial de 2 ppm de Cr(VI) nas amostras, evidenciando a eficiência do tratamento adotado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2462308 - EDILSON DE JESUS SANTOS
Interno - 2581604 - CRISTINA FERRAZ SILVA
Interno - 1785561 - JOSE ADAIR PACIFICO DOS SANTOS
Externo à Instituição - FRANCISCO LUIZ GUMES LOPES

Notícia cadastrada em: 29/01/2014 12:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e