A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: BRENO MOURA DA CONCEIÇÃO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRENO MOURA DA CONCEIÇÃO
DATA: 17/02/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/wqs-mbnf-nkb?hs=122&authuser=0 (virtual)
TÍTULO: Efeito da supressão vegetal e impacto do parasitismo na dinâmica parasito-hospedeiro em duas espécies simpátricas de Tropidurus de áreas de caatinga.
PALAVRAS-CHAVES: Parasitismo, remoção da vegetação, Lagartos, Endoparasitos, Ectoparasitos e Caatinga
PÁGINAS: 128
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Relações parasito-hospedeiro representam componentes chave no estudo das dinâmicas populacionais, uma vez que, em comunidades naturais, parasitos podem causar impactos negativos e controlar populações de hospedeiros de forma semelhante aos predadores e às limitações de recursos. Esta relação pode sofrer alterações devido a mudanças nas condições ambientais em decorrência da remoção da cobertura vegetal. O presente trabalho procurou avaliar como perturbações ocorridas em diferentes intervalos de tempo, influenciam os principais descritores do parasitismo (prevalência, abundância média de infecção/infestação e intensidade média de infecção/infestação). Foram investigados também os efeitos das cargas parasitárias nos índices de condição corporal, lipossomático e gonadossomático em lagartos. Para isso foram utilizados, como modelos, lagartos do gênero Tropidurus (T. semitaeniatus e T. hispidus), coletados em seis áreas de Caatinga, três delas onde a vegetação foi suprimida há menos de cinco anos, e outras três, com supressão há mais de 20 anos. As áreas estão localizadas nos municípios de Canindé do São Francisco e Poço Redondo, ambas no Estado de Sergipe. Os lagartos foram amostrados em agosto e novembro de 2018 e junho de 2019, por busca ativa e com o uso de laços de fio dental presos na ponta de varas de pesca do tipo telescópica. Todos os ectoparasitos e endoparasitos foram coletados, identificados, no nível taxonômico mais baixo possível, e contabilizados, e os valores, utilizados para o calculo dos descritores de parasitismo. Hemoparasitos foram também investigados, porém nenhum parasito, dessa categoria, foi observado. Para cada lagarto foram também calculados os índices de condição corporal, lipossomático e gonadossomático, e associados às respectivas cargas parasitarias. A pesquisa foi estruturada na forma de dois capítulos, cada um voltado a responder uma das duas hipóteses levantadas: 1) Lagartos coletados em áreas cujas as perturbações (supressão da vegetação) ocorreram mais recentemente apresentarão valores mais elevados dos descritores de parasitismo quando comparados aos de áreas mais tardias; 2) Lagartos com maiores cargas parasitárias apresentarão alterações negativas mais expressivas nos índices de condição corporal, lipossomático e gonadossomático. O primeiro capítulo foi intitulado “Efeito da supressão vegetal na dinâmica parasito-hospedeiro em duas espécies simpátricas de Tropidurus” e o segundo “Impacto do parasitismo nos índices de condição corporal, lipossomático e gonadossomático de populações de Tropidurus semitaeniatus e T. hispidus na Caatinga.” Para T. hispidus o tempo decorrente após a supressão da vegetação não interferiu na prevalência, abundância média, intensidade média e na riqueza de endo e ectoparasitos. Para T. semitaeniatus as diferentes cronologias de supressão da cobertura vegetal não afetaram a riqueza, porém, as áreas que tiveram vegetação removida há mais de vinte anos apresentaram menores intensidade média e abundância média de endoparasitos. O histórico de retirada da vegetação explicou, parcialmente, as maiores abundância média e intensidade média de infecção por endoparasitos em T. semitaeniatus, uma vez que, mesmo entre as áreas que tiveram suas vegetações removidas há menos de cinco anos, havia variações nos descritores de parasitismo. No segundo capítulo, os resultados mostraram que as cargas parasitárias não apresentaram impacto negativo na condição corporal de machos e fêmeas de diferentes populações, nem no índice gonadossomático de machos T. semitaeniatus, e nenhum impacto em T. hispidus. Os índices lipossomáticos foram negativamente correlacionados, em machos e fêmeas de diferentes populações, em ambas espécies, mostrando que o parasitismo gera um custo dependente da carga parasitária. Por outro lado, o baixo impacto do parasitismo na condição corporal e no índice gonadossomático dos lagartos indica que o processo de coevolução hospedeiro-parasito propiciou um desenvolvimento de uma maior tolerância ao parasitismo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1543186 - RENATO GOMES FARIA
Interno - 1687626 - MARCELO FULGENCIO GUEDES DE BRITO
Interno - 1775420 - GUSTAVO LUIS HIROSE
Externo à Instituição - ROBSON WALDEMAR AVILA
Externo à Instituição - MARCELO NOGUEIRA DE CARVALHO KOKUBUM

Notícia cadastrada em: 14/02/2022 10:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r17718-4d8e4e57be