Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: QUENNIA GARCIA MORENO RESENDE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: QUENNIA GARCIA MORENO RESENDE
DATA: 19/12/2012
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de reuniões da Física
TÍTULO:

 

DESENVOLVIMENTO DE MICROEMULSÕES PARA USO TRANSDÉRMICO:
INFLUÊNCIA DO CO-TENSOATIVO NA FORMAÇÃO E NO EFEITO
PROMOTOR DE PERMEÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE MICROEMULSÕES PARA USO TRANSDÉRMICO:INFLUÊNCIA DO CO-TENSOATIVO NA FORMAÇÃO E NO EFEITOPROMOTOR DE PERMEÇÃO

 


PALAVRAS-CHAVES:

 

Liberação transdérmica, microemulsão, óleo Citrus sinensis co-
tensoativos, nifedipina.

Liberação transdérmica, microemulsão, óleo Citrus sinensis co-tensoativos, nifedipina.

 


PÁGINAS: 92
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

 

As microemulsões (ME) podem ser consideradas como sistemas de liberação
transdérmicos ideais para liberação de fármacos, pois possuem alta estabilidade
termodinâmica, facilidade de formulação, baixa viscosidade, alta capacidade de
solubilização de substâncias e pequeno tamanho de gotícula. Dessa forma, este estudo
desenvolveu microemulsões para uso transdérmico, contendo óleo essencial de Citrus
sinensis, como fase oleosa, a partir de diferentes co-tensoativos. Foram utilizados
Tween 80® como tensoativo, tampão fosfato (pH 5,0) como fase aquosa e os co-
tensoativos Álcool etílico, álcool isopropílico e propilenoglicol que são relativamente
toleráveis pela pele. Diagramas de fase pseudo ternários foram construídos e
selecionadas duas formulações de cada diagrama a fim de avaliar a influência da
mistura tensoativo/co-tensoativo (T/Co-t), e mais especificamente, a influência do co-
tensoativo na interação com modelo de estrato córneo (EC) e perfil de permeação da
nifedipina, fármaco de estudo. Foram avaliados parâmetros como aspecto visual,
microscopia de luz polarizada, pH, condutividade elétrica, tamanho de gotícula da fase
interna, reologia e SAXS das microemulsões selecionadas, bem como as técnicas
biofísicas (DSC e FTIR) com o intuito de avaliar os mecanismos envolvidos nas
interações proporcionadas pelos sistemas, em modelo de EC. Verificou-se que a zona
de formação de MEs é modificada com a adição de diferentes co-tensoativos, os
valores de tamanho de gotícula aumentaram com a proporção T/Co-t utilizada, os
sistemas com maior quantidade de conteúdo aquoso apresentaram-se mais
organizados e menos viscosos, compatível com os dados obtidos por SAXS, reologia e
condutividade elétrica, bem como as técnicas de DSC e FTIR que evidenciaram uma
possível interação, pelos sistemas microemulsionados, proporcionada em modelo de
EC, demonstrando assim, a utilização desses sistemas como promotores de
permeação.

As microemulsões (ME) podem ser consideradas como sistemas de liberação
transdérmicos ideais para liberação de fármacos, pois possuem alta estabilidadetermodinâmica, facilidade de formulação, baixa viscosidade, alta capacidade desolubilização de substâncias e pequeno tamanho de gotícula. Dessa forma, este estudodesenvolveu microemulsões para uso transdérmico, contendo óleo essencial de Citrussinensis, como fase oleosa, a partir de diferentes co-tensoativos. Foram utilizadosTween 80® como tensoativo, tampão fosfato (pH 5,0) como fase aquosa e os co-tensoativos Álcool etílico, álcool isopropílico e propilenoglicol que são relativamentetoleráveis pela pele. Diagramas de fase pseudo ternários foram construídos eselecionadas duas formulações de cada diagrama a fim de avaliar a influência damistura tensoativo/co-tensoativo (T/Co-t), e mais especificamente, a influência do co-tensoativo na interação com modelo de estrato córneo (EC) e perfil de permeação danifedipina, fármaco de estudo. Foram avaliados parâmetros como aspecto visual,microscopia de luz polarizada, pH, condutividade elétrica, tamanho de gotícula da faseinterna, reologia e SAXS das microemulsões selecionadas, bem como as técnicasbiofísicas (DSC e FTIR) com o intuito de avaliar os mecanismos envolvidos nasinterações proporcionadas pelos sistemas, em modelo de EC. Verificou-se que a zonade formação de MEs é modificada com a adição de diferentes co-tensoativos, osvalores de tamanho de gotícula aumentaram com a proporção T/Co-t utilizada, ossistemas com maior quantidade de conteúdo aquoso apresentaram-se maisorganizados e menos viscosos, compatível com os dados obtidos por SAXS, reologia econdutividade elétrica, bem como as técnicas de DSC e FTIR que evidenciaram umapossível interação, pelos sistemas microemulsionados, proporcionada em modelo deEC, demonstrando assim, a utilização desses sistemas como promotores depermeação.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES
Interno - 1686032 - ANA AMELIA MOREIRA LIRA
Externo ao Programa - 1658460 - VICTOR HUGO VITORINO SARMENTO
Notícia cadastrada em: 13/12/2012 14:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10787-147c949b3